Aras nega ter comentado impressões sobre vídeo de reunião ministerial

De Redação Estadão | 13 de maio de 2020 | 08:15

O procurador-geral da República, Augusto Aras, emitiu nota na noite desta terça-feira, 12, afirmando que “não assistiu à gravação” da reunião ministerial do dia 22 de abril, exibida para representantes da Procuradoria e advogados do ex-ministro Sérgio Moro e do presidente Jair Bolsonaro. Por isso, o PGR nega ter comentado suas impressões sobre o vídeo “com interlocutores”.

“Augusto Aras não comentou com interlocutores suas impressões sobre o teor do vídeo nem manifestou qualquer juízo a respeito, seja porque não assistiu à gravação, seja porque não esteve reunido com os procuradores da República que a assistiram, visto que os procuradores, logo após a exibição do material, participaram das oitivas de ministros de Estado”, afirmou Aras, em nota.

O PGR afirmou que somente formará “juízo acerca dos elementos” constantes no inquérito “ao término das diligências”.

Na noite desta terça, o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal e relator do inquérito, abriu prazo de 48 horas para Aras se manifestar sobre o levantamento do sigilo – total ou parcial – da gravação da reunião ministerial.

Paulo Roberto Netto
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário