Barroso informa que índice de abstenção ficou em 23,14%

De Redação Estadão | 16 de novembro de 2020 | 07:42

Marcada por pandemia do novo coronavírus, as eleições 2020 tiveram 23,14% de abstenção no primeiro turno, informou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, na madrugada desta segunda-feira, 16. O número foi comemorado por Barroso, que anteriormente havia previsto uma abstenção na casa dos 30%. O nível histórico é de 20%, segundo o ministro.

“Certamente vai ficar em menos de 23,5%. Extraordinário porque nas últimas eleições foi mais de 20% e nesta eleição, 23%, em meio a uma pandemia. Mais um fator que precisamos comemorar”, disse Barroso, observando que o número final pode ter alguma pequena variação no momento em que 100% das urnas forem apuradas. Segundo Barroso, foram 3,9 milhões de votos em branco, e cerca de 7 milhões nulos.

Aperfeiçoamento

Ao ser questionado sobre a declaração do presidente Jair Bolsonaro, que citou um sistema eleitoral “aperfeiçoado” para 2022, Luís Roberto Barroso, disse que “tudo nessa vida pode ser aperfeiçoado ao longo do tempo”. “Portanto a resposta é sim”, disse ao ser perguntado se avaliava essa necessidade.

Bolsonaro é defensor do voto impresso para as próximas eleições presidenciais, sistema que já foi declarado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF), inclusive com o voto de Barroso.

Ao ser questionado sobre quais aperfeiçoamentos devem ser feitos, o presidente do TSE citou o projeto “Eleições do futuro”, que testam novas formas de votação eletrônica, e a própria superação do problema técnico enfrentando na totalização dos votos.

“Hoje (ontem, domingo) por exemplo tivemos problema que produziu atraso, não é grave mas produziu problema e portanto acho que pode ser aperfeiçoado, e além disso temos Eleições do Futuro, que pode apresentar alternativa mais eficiente”, disse.

Amanda Pupo
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário