BCE mantém juros, mas recalibra instrumentos de política monetária

De Redação Estadão | 10 de dezembro de 2020 | 11:14

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter inalteradas suas principais taxas de juros após a reunião concluída nesta quinta-feira, 10, como era previsto, mas recalibrou outros instrumentos de política monetária. O Conselho aumentou o volume do Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) em 500 bilhões de euros, para 1,85 trilhão de euros. Além disso, a instituição informou que as compras de ativos serão conduzidas até “pelo menos” março de 2022, uma extensão de nove meses. A taxa de refinanciamento do BCE permaneceu em 0% e a de depósitos, em -0,50%.

O BCE também decidiu estender as operações de refinanciamento de longo prazo (TLRO) por 12 meses, até junho de 2022.

“Três operações adicionais também serão realizadas entre junho e dezembro de 2021”, diz o comunicado de política monetária. “A fim de fornecer um incentivo aos bancos para manterem o nível atual de empréstimos bancários, as condições de empréstimo recalibradas da TLTRO III serão disponibilizadas apenas aos bancos que atingirem um novo objetivo de desempenho de crédito”, acrescenta o BCE.

O tamanho do Programa de Compras de Ativos (APP, na sigla em inglês), por sua vez, permanecerá inalterado em 120 bilhões de euros, a um ritmo mensal de 20 bilhões de euros.

Segundo a instituição, as compras do APP serão realizadas “pelo tempo que for necessário”.

Iander Porcella
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.