Biden assume liderança na Geórgia, mas resultado ainda não é definitivo

De Redação Estadão | 6 de novembro de 2020 | 07:17

O candidato democrata Joe Biden virou o jogo na Geórgia em meio à acirrada disputa pela presidência dos EUA e agora lidera no Estado, com 917 votos a mais, e 99% dos votos apurados até agora. Ele está mais perto de conquistar a Casa Branca, mas o resultado ainda pode se reverter. Caso o resultado se confirme, Trump não tem mais chances de alcançar maioria no Colégio Eleitoral.

Quem vencer na Geórgia leva 16 votos do Colégio Eleitoral. Somados aos 253 delegados que Biden já tem, se vencer ali, o democrata ficará a um voto do total necessário – 270 – para ganhar as eleições. Trump, com 214, ainda precisará de 40 votos.

A campanha de Donald Trump deve pedir a recontagem dos votos assim que a apuração na Geórgia acabar, além de entrar com novos processos judiciais desafiando a legalidade da apuração. Dos seis Estados que ainda não concluíram suas apurações, as atenções se voltam nesta sexta-feira (6) para Geórgia, Pensilvânia e Nevada.

Na Geórgia ainda faltam cerca de 40 mil votos a serem contados no Estado, a maioria de centros urbanos perto de Atlanta, que tendem a votar nos democratas. A vantagem de Donald Trump caiu também na Pensilvânia, para 18.042 votos, na manhã desta sexta-feira. A diferença pouco antes das 7h (de Brasília) era de 0,27 ponto porcentual (49,56% a 49,29%).

Com 97% da apuração projetada na Pensilvânia, o atual presidente tinha 3.285.965 votos, contra 3.267.923 de Joe Biden. No Arizona, Estado onde vários veículos projetavam vitória de Biden, cerca de 300 mil votos ainda precisam ser apurados, segundo a CNN. Biden tem uma vantagem de 47.052 votos. Com 90% das urnas apuradas, Joe Biden tem 1.532.062 votos (50.1%), e Trump tem 1.485.010 (48.5). A vantagem de Biden é de 1,6 ponto porcentual.

A Carolina do Norte ainda pode, por lei, continuar contando votos que cheguem até o dia 12 de novembro – desde que eles tenham sido enviados até o dia 3.

Redação
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário