Bolsas da Ásia fecham em alta com otimismo sobre incentivos e economia; Seul cai

De Redação Estadão | 8 de fevereiro de 2021 | 07:21

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, 8, em meio a expectativas de que os EUA aprovem um novo pacote fiscal e crescente otimismo sobre a recuperação da economia global. A exceção foi o mercado sul-coreano, que caiu após as montadoras Hyundai e Kia negarem estar em negociações com a Apple para desenvolver carros autônomos.

O índice acionário japonês Nikkei saltou 2,12% em Tóquio hoje, a 29.388,50 pontos, atingindo o maior nível desde agosto de 1990, enquanto o Hang Seng teve modesta alta de 0,11% em Hong Kong, a 29.319,47 pontos. Na China continental, o Xangai Composto subiu 1,03%, a 3.532,45 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,21%, a 2.360,78 pontos. Em Taiwan, o mercado local não operou devido a um feriado.

No fim da semana passada, o Congresso americano aprovou resoluções que facilitam a tramitação do pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão proposto pelo presidente dos EUA, Joe Biden, permitindo sua aprovação por maioria simples no Senado, onde os democratas têm 51 de 100 votos. A expectativa é que Biden retome negociações sobre novos incentivos fiscais com parlamentares nesta semana.

Analistas também esperam que a economia mundial volte a crescer este ano, após contrair em 2020 em meio à pandemia de covid-19. Países asiáticos dependentes de exportações, como Japão, Coreia do Sul e China, deverão ser fortemente beneficiados por uma recuperação.

Investidores estão mais animados com resultados corporativos melhores do que o esperado, relatos de que a recente alta nos casos de coronavírus está desacelerando e progresso na distribuição de vacinas.

Diante do apetite por risco, ficaram em segundo plano notícias de que a China emitiu novas diretrizes antimonopólio, endurecendo restrições às plataformas de internet do país, e sobre uma queda nas reservas cambiais do gigante asiático.

Já a Bolsa de Seul ficou no vermelho nesta segunda, após papéis da Hyundai e de sua afiliada Kia sofrerem tombos de 6,20% e 14,98%, respectivamente. Em comunicados, as montadoras disseram que “não estão em conversas sobre o desenvolvimento” de carros autônomos com a Apple, como chegou a ser divulgado na semana passada. O índice acionário Kospi caiu 0,94%, encerrando o pregão em Seul aos 3.091,24 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o tom majoritário na Ásia, e o S&P/ASX 200 avançou 0,59% em Sydney, a 6.880,70 pontos, alcançando o maior patamar em quase um ano. (Com informações da Dow Jones Newswires e Associated Press).

Sergio Caldas
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.