Bolsas da Ásia fecham em alta na esteira de NY; chinesas recuam com PMIs fracos

De Redação Estadão | 3 de fevereiro de 2021 | 07:11

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira, 3, na esteira de mais um dia de ganhos em Nova York. As chinesas, por outro lado, caíram após a divulgação de dados fracos de atividade da segunda maior economia do mundo.

O índice japonês Nikkei subiu 1% em Tóquio hoje, a 28.646,50 pontos, impulsionado por ações financeiras e de seguradoras, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 1,06% em Seul, a 3.129,68 pontos, o Hang Seng teve modesta valorização de 0,20% em Hong Kong, a 29.307,46 pontos, e o Taiex registrou ganho marginal de 0,07% em Taiwan, a 15.771,32 pontos.

O viés positivo na Ásia veio depois de as bolsas de Nova York subirem ontem pelo segundo dia consecutivo, após amargarem fortes perdas na última semana em meio a ataques especulativos. Além de a especulação ter perdido força de lá para cá, investidores em Wall Street e em outras partes do mundo estão mais esperançosos de que o governo Biden avance em negociações com a oposição republicana para o lançamento de um novo pacote fiscal em reação à pandemia de covid-19.

Na China continental, por outro lado, os mercados ficaram no vermelho após dados de atividade econômica (PMIs) indicarem que o gigante asiático está crescendo em ritmo mais fraco. O PMI de serviços chinês diminuiu de 56,3 em dezembro para 52 em janeiro, atingindo o menor nível em nove meses, embora tenha se mantido acima da marca de 50 que indica expansão, segundo pesquisa da IHS Markit em parceria com a Caixin Media. O PMI composto, que abrange serviços e indústria, caiu de 55,8 para 52,2 no mesmo período.

A bolsa de Xangai recuou 0,46% nesta quarta, a 3.517,31 pontos, e a de Shenzhen caiu 0,87%, a 2.380,79 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana teve ganhos pelo terceiro pregão seguido, com alta de 0,92% do S&P/ASX em Sydney, a 6.824,60 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Sergio Caldas
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.