Bolsas da Ásia terminam mistas, influenciadas por EUA, China e covid-19

De Redação Estadão | 20 de novembro de 2020 | 07:17

As bolsas da Ásia e do Pacífico terminaram a sessão desta sexta-feira (20) sem sinal único. Os investidores ponderaram os sinais mistos em relação aos estímulos nos Estados Unidos, enquanto monitoraram o aumento de casos de covid-19 no Hemisfério Norte. Na China, o setor automotivo deu gás à subida, em meio à expectativa por um programa de venda de automóveis.

Se por um lado há expectativa quanto a algum entendimento entre os senadores americanos em relação ao novo pacote fiscal, o que deu suporte aos ganhos de Wall Street na véspera e em alguns mercados asiáticos hoje, por outro, pesou o fato de o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, ter informado ao Federal Reserve que não renovará os programas de apoio ao crédito, que terminam em 31 de dezembro.

No Japão, os investidores ficaram de olho no avanço da covid-19. As autoridades de saúde informam que os novos casos da doença sobem a um nível de 2 mil por dia, o que aumentou o receio por novas medidas sanitárias. Nesta sessão, foram conhecidos os números de inflação ao consumidor de outubro, quando houve queda anual de 0,4%, e do índice composto dos gerentes de compras de novembro, que cedeu a 47.

O índice Nikkei terminou a sessão em baixa de 0,42%, aos 25.527,37 pontos. Na semana, contudo, houve avanço de 0,56%. A Bolsa de Tóquio não abre na segunda-feira, devido ao feriado do Dia de Ação de Graças ao Trabalho.

Na China, o índice Xangai Composto subiu aos 3.377,73 pontos, valorização diária de 0,44% e semanal de 2,04%, e o Shenzhen Composto foi a 2.396,17 pontos, ganho respectivo de 0,60% e 0,92%. O destaque desta sessão foi a alta de 10% da Shenyang Jinbei Automotive, principal fabricante de minivans da China, em meio à notícia de que o governo chinês vai estimular a venda de automóveis em áreas rurais.

Nos demais mercados, a Bolsa de Seul subiu aos 2.553,50 pontos (alta diária de 0,24% e semanal de 2,39%), a de Hong Kong foi a 26.451,54 pontos (avanço de 0,36% e 1,13%, respectivamente) e a de Sydney terminou em 6.539,20 pontos (queda no dia de 0,12%, mas alta de 2,09 na semana). (Com Dow Jones Newswires).

Mateus Fagundes
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário