Bolsas da Europa fecham em alta com apetite por risco em NY e PIBs locais

De Redação Estadão | 2 de fevereiro de 2021 | 14:38

Os índices acionários das principais bolsas da Europa fecharam em alta nesta terça-feira, 2, repercutindo o bom humor dos mercados em Nova York, em meio ao recuo de movimentos especulativos por investidores de varejo, a temporada de balanços corporativos e as negociações pelo pacote de estímulos monetários nos Estados Unidos. Resultados do Produto Interno Bruto (PIB) para o 4º trimestre de 2020 da zona do euro e da Itália também agradaram os mercados do continente.

O índice pan-europeu Stoxx-600 encerrou o pregão em alta de 1,36%, aos 406,31 pontos. O fechamento desta terça marca a segunda alta seguida das bolsas europeias, recuperando parte das fortes perdas acumuladas na semana passada.

Para além do impulso de Nova York, indicadores macroeconômicos ajudaram a dar tom positivo às bolsas europeias. Apesar de recuar 0,7% ante o trimestre anterior, o PIB do 4º trimestre de 2020 da zona do euro veio acima das expectativas, indicando que o impacto dos bloqueios adotados no continente por conta da pandemia foi menor do que o esperado, avalia o Julius Baer, em relatório enviado a clientes.

Com isso, o índice Dax, de Frankfurt, subiu 1,56%, aos 13.835,16 pontos, enquanto o Ibex 35, de Madri, avançou 1,96%, aos 7.950,50 pontos, na maior alta do dia entre os principais índices europeus.

Também diante deste cenário, companhias ligadas ao setor aéreo e de turismo registraram ganhos generalizados.

No FTSE 100 de Londres, a InterContinental Hotels fechou na maior alta diária do índice, de 6,01%, seguida pela IAG (+5,08%) e Whitbread (+5,89%). Em movimento contrário, a BP teve o maior recuo do dia, de 4,70%, após divulgar balanço mais cedo.

Ainda em Londres, empresas de mineração devolveram os ganhos da segunda-feira com a queda no contrato futuro da prata, alvo de especulação por pequenos investidores. A Fresnillo caiu 4,83% e a Glencore teve queda de 1,24%. Ao fim das negociações, o FTSE 100 marcava alta de 0,78%, a 6.516,65 pontos.

Já o CAC 40, de Paris, fechou em alta de 1,86%, a 5.563,11 pontos. A bolsa francesa ganhou suporte da alta do setor bancário no país, puxada pelas ações do BNP Paribas (+3,55%) e Société Genérale (+3,54%). Na Itália, o PIB do 4º trimestre do ano passado recuou 2,0%, em resultado melhor que o previsto. O FTSE MIB, de Milão, fechou em alta de 1,11%, a 22.066,87 pontos.

Por fim, o PSI 20, de Lisboa, acompanhou os ganhos e fechou com variação positiva de 0,26%, aos 4.802,28 pontos, apesar da pressão imposta pela covid-19 à economia local.

Gabriel Caldeira
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.