Bolsas da Europa fecham em alta com ata do BCE e espera por ajuda fiscal nos EUA

De Redação Estadão | 8 de outubro de 2020 | 14:34

As bolsas da Europa fecharam em alta após a divulgação da ata da última reunião do Banco Central Europeu (BCE), mostrando que há possibilidade de ainda mais flexibilização na política monetária. Além disso, o recuo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, indicando que pode haver algum tipo de apoio fiscal, com destaque para as aéreas, impulsionou o mercado, e empresas do setor registraram importantes ganhos. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,78%, a 368,71 pontos.

De acordo com a ata do BCE publicada hoje, na última reunião de setembro, foi indicado que “nas próximas semanas” mais dados estariam disponíveis, o que melhoraria a visibilidade, ou seja, “uma decisão de flexibilizar ainda mais a política monetária em um futuro não muito distante não pode ser descartada”, avaliou o Commerzbank. O banco alemão observa ainda que “os dados continuaram a apontar para uma recuperação mais rápida do que o esperado pelo BCE”.

Com o aceno de Trump à possibilidade de um resgate às companhias aéreas, algo que conta com apoio no governo e na oposição, as ações do setor tiveram altas não só em Nova York, mas também na Europa. Em Londres, International Airlines Group, (+10,26%), Easyjet (+2,25%) e Ryanair (+2,10%), ajudaram o FTSE 100 a fechar em alta de 0,53%, a 5.978,03 pontos. Em Frankfurt, a Lufthansa subiu 6,14% e contribuiu para o alta de 0,88% do índice DAX, que fechou aos 13.042,21 pontos.

Com grande volatilidade na semana e seguindo os humores do mercado, as ações de petrolíferas tiveram ganhos hoje. Com o barril de petróleo subindo mais de 2% em Londres e Nova York, BP (+2,32) e Royal Dutch Shell (+2,67%) fecharam com elevação na capital britânica. Em Milão, a Eni teve ganho de 2,68% e ajudou o FTSE MIB a ter alta de 0,76%, a 19.582,43 pontos.

Em Paris, a Total fechou em alta de 1,11%, e o índice CAC subiu 0,61%, a 4.911,94 pontos. A Galp, em Lisboa, subiu 2,68%, impulsionando o PSI 20 a alta de 1,04%, a 4.222,44 pontos.

A Repsol teve alta de 3,48% em Madri. Na Espanha a semana tem grande volatilidade no setor bancário, sendo responsável pelo índice IBEX 30 mais uma vez apresentar a maior variação dentre as principais bolsas europeias, hoje avançando 1,20%, a 6.992,80 pontos. Envolvidos em uma fusão, Caixabank (+1,82%), Bankia (+2,44%) tiveram ganhos, acompanhados por outros bancos, como Santander (+1,72%) e BBVA (+0,91%).

Matheus Andrade
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário