Bolsas da Europa fecham em alta, com estímulos, BCE e reabertura apoiando risco

De Redação Estadão | 28 de maio de 2020 | 13:59

As bolsas europeias fecharam com ganhos nesta quinta-feira, 28, ainda com reação positiva ao pacote de estímulos de 750 bilhões de euros anunciado nesta quarta, 27, pela União Europeia (UE). Com isso, mesmo um dado modesto da zona do euro e as tensões entre Estados Unidos e China não foram suficientes para impedir nova alta nos índices acionários, ajudados pelas expectativas positivas com a gradual reabertura em várias economias e também já com previsões para a reunião do Banco Central Europeu (BCE) na próxima semana.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganho de 1,64%, para 355,47 pontos.

O pacote anunciado pelo bloco continuou a apoiar o humor hoje na Europa. O Commerzbank comenta em relatório que ainda há questões em aberto e também lembra que todos os países-membros precisarão dar apoio unânime à iniciativa, o que pode ser uma dificuldade.

O ING, por sua vez, comenta que o Banco Central Europeu (BCE) pode anunciar o aumento de seu programa de compras de bônus para apoiar o quadro na pandemia, na reunião da próxima semana. O BBH também prevê que o BCE continuará a relaxar sua política monetária.

Além desses dois pontos, continuou a haver certo otimismo entre alguns investidores com a retomada gradual da economia. Com isso, ficaram em segundo plano as tensões entre as duas potências, que ganharam novo capítulo após o Parlamento da China avançar com uma lei de segurança que, para Washington, impede qualquer autonomia para Honk Kong – autoridades americanas ameaçam retaliar.

Na agenda de indicadores, o índice de sentimento econômico da zona do euro subiu a 67,5 em maio, mas analistas esperavam avanço maior, a 70,0.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 1,21%, em 6.218,79 pontos. UK Oil & Gas se destacou, em alta de 4,17%, mas BP caiu 1,72%. Entre os bancos, Lloyds caiu 1,47%, enquanto Barclays avançou 2,32%.

Em Frankfurt, o DAX subiu 1,06%, a 11.781,13 pontos. Entre os papéis mais negociados, Deutsche Bank avançou 0,55%, E.ON teve alta de 1,22% e Commerzbank, de 0,70%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 teve ganho de 1,76%, para 4.771,39 pontos. Total registrou avanço de 0,82% e Crédit Agricole, de 0,03%, mas BNP Paribas caiu 0,12%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB se destacou, em alta de 2,46%, em 18.351,16 pontos. A sessão foi positiva para os bancos italianos, como Intesa Sanpaolo (+1,31%), UniCredit (+3,53%) e BPM (+3,79%).

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 subiu 0,69%, para 7.224,10 pontos, com Telefónica em alta de 4,35%, mas Santander em baixa de 0,81%. Em Lisboa, o PSI-20 avançou 1,77%, a 4.380,64 pontos.

Gabriel Bueno da Costa
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário