Bolsas da Europa fecham em queda após anúncio de novas tarifas pelos EUA

De Redação Estadão | 31 de maio de 2019 | 12:00

Os mercados acionários europeus fecharam em queda nesta sexta-feira, 31, em reação ao anúncio dos Estados Unidos de que aplicarão tarifas de 5% a todos os bens importados do México, a partir do próximo dia 10, elevando tensões nos mercados internacionais.

Com investidores avessos a risco, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou o dia em queda de 0,78%, aos 369,16 pontos.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na quinta noite que imporá tarifas ao vizinho México, como forma de pressionar o país a controlar o que ele chama de “crise” de imigração ilegal, promovendo mais uma escalada nas tensões comerciais. Além disso, um indicador da indústria da China mostrou contração, gerando mais preocupações sobre os efeitos da guerra comercial.

Na Europa, foram verificadas perdas no setor automobilístico, reavivando os temores de que os EUA possam retomar a proposta de tarifas para veículos internacionais, o que afeta as indústrias europeias do setor.

Na principal economia da zona do euro, o índice DAX 30, da bolsa de Frankfurt, caiu 1,47%, aos 11.726,84 pontos. Entre as montadoras, a Daimler caiu 1,83% e a Volkswagen perdeu 2,60%. A principal perda, no entanto, se deu nos papéis da Wirecard AG, empresa do ramo financeiro, que perdeu 7,45%. O Deutsche Bank também recuou, encerrando em -1,29%.

O índice FTSE 100, da bolsa de Londres, fechou em queda de 0,78%, aos 7.161,71 pontos, também com perdas no setor financeiro. O Lloyds Banking perdeu 0,66% e o HSBC, 1,30%.

Em Paris, outras montadoras seguiram a tendência de recuo. Na bolsa da capital francesa, o índice CAC 40 encerrou o pregão em queda de 0,79%, aos 5.207,63 pontos. Por lá, a Renault caiu 4,55% e a Peugeot, 0,65%.

Na Itália, a cautela em torno da dívida pública entre o vice-primeiro-ministro, Matteo Salvini, e a Comissão Europeia segue, junto ao cenário internacional, pressionando a bolsa de Milão. O índice FTSE MIB recuou 0,73%, fechando aos 19.802,11 pontos. A Fiat apresentou a maior perda, de 4,76%. Os bancos seguem a tendência de perda verificada nos últimos dias, com o Sanpaolo recuando 1,68% e o Mediobanca caindo 1,17%.

Em Madri, o índice Ibex 35 caiu 1,68%, com 9.004,20 pontos, também apresentando perdas no setor automotivo: a Cie Automotive recuou 4,41%. Na bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 caiu 0,40%, aos 5.043,99.