Bolsas de NY fecham em alta após Trump confirmar alta e com foco em estímulos

De Redação Estadão | 5 de outubro de 2020 | 17:46

As bolsas de Nova York fecharam o pregão desta segunda-feira, 5, em alta, após o presidente americano, Donald Trump, confirmar que deixará o hospital e continuará o tratamento para covid-19 na Casa Branca. Além disso, a perspectiva de um possível novo pacote fiscal nos Estados Unidos também gerou otimismo entre os investidores.

No fechamento da sessão, o índice acionário Dow Jones subiu 1,68%, a 28.148,64 pontos, o S&P 500 avançou 1,80%, a 3.408,60 pontos, e o Nasdaq ganhou 2,32%, a 11.332,49 pontos.

“Estou me sentindo muito bem!”, escreveu Trump em sua conta oficial no Twitter ao anunciar que sairá do hospital. O republicano está internado no centro médico Walter Reed desde sexta-feira, após ter anunciado que estava com covid-19. As bolsas de NY, que já registravam alta, aceleraram os ganhos após o tweet de Trump.

A equipe médica do presidente dos EUA disse que ele “cumpriu ou excedeu” todos os requisitos para deixar o hospital, mas que não está totalmente fora de perigo. “Estamos cautelosamente otimistas”, afirmou o médico Sean Conley, em uma coletiva de imprensa.

“As ações abriram solidamente em alta devido à melhora de saúde do presidente Trump”, escreveram analistas da LPL Financial logo após a abertura do pregão em NY. Os profissionais da corretora americana também atribuíram o bom humor no mercado financeiro às negociações em Washington por mais estímulos fiscais.

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, conversaram hoje por telefone “por aproximadamente uma hora” para tentar chegar a um entendimento. Em entrevista à MSNBC, entretanto, Pelosi disse que o pacote fiscal dependerá dos republicanos.

Entre os indicadores da economia americana que foram divulgados hoje, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto caiu de 54,6 em agosto para 54,3 em setembro, já o índice de atividade do setor de serviços, medido pelo ISM, subiu de 56,9 para 57,8 no mesmo período.

No S&P 500, o subíndice do setor de energia liderou os ganhos (+2,9%), seguido pelo do setor de tecnologia (+2,27%). As ações da Chevron subiram 2,12%, as da Apple avançaram 3,08% e as da Amazon registraram alta de 2,37%.

Iander Porcella
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.