Bolsas de NY fecham em alta, repercutindo eleição e possível vitória de Biden

De Redação Estadão | 4 de novembro de 2020 | 19:10

As bolsas de Nova York fecharam em forte alta nesta quarta-feira, 4, seguindo a expectativa de que o candidato democrata Joe Biden saia vencedor das eleições americanas. O setor de tecnologia teve grande valorização durante o dia, com o quadro na disputa pelo Senado também no radar. As ações do Facebook e da Alphabet, que controla a Google, duas das empresas mais observadas durante o pleito, tiveram importantes altas.

O índice Dow Jones subiu 1,34%, a 27.847,66 pontos, o S&P 500 avançou 2,20%, a 3.443,44 pontos, e o Nasdaq registrou alta de 3,85%, a 11.590,78 pontos.

O Erste Group avalia que o mercado não esperou o resultado final das eleições, que pode ainda se arrastar por dias, para se posicionar. A avaliação é que houve diminuição de incertezas que vinham sendo responsáveis por baixa nas ações. Outro fator apontado pelo grupo é o de que empresas locais podem ter mais dificuldades em lidar com um possível aumento nos salários mínimos proporcionado por um governo do democrata Joe Biden.

O grande destaque nas altas ficou por conta do setor de tecnologia. O movimento foi apontado como fruto em parte do resultado pela disputa pelo Senado. Ao contrário do esperado pela maioria dos analistas, agora há boa chance de que os republicanos sigam no comando da Casa, o que dificulta eventuais medidas dos democratas para impor mais restrições e regulações a gigantes do setor. As ações do Facebook, um dos grandes destaques durante as eleições de 2016, em especial alvo de críticas, subiram 8,32%. As da Alphabet, que nas últimas semanas vinha sendo alvo de ataques por parte de Donald Trump, tiveram alta de 6,09%. Apple (+4,08%) e Amazon (+6,32%) seguiram a tendência.

Outro mercado que acompanhou as eleições com especial atenção foi o de petróleo. Em dia de alta de quase 4% no preço da commodity em Londres e Nova York, as ações da ExxonMobil tiveram queda de 0,54%. Um dos possíveis motivos é que um governo de Biden provavelmente representaria uma guinada a outras fontes de energia, e mesmo com risco de aumento de restrições para o mercado. A Chevron operou perto da estabilidade, avançando 0,02%.

A avaliação geral é de que os resultados eleitorais complicaram a aprovação de um novo pacote fiscal no país. A expectativa era de que os democratas pudessem conseguir uma maioria no Senado, o que auxiliaria nas tratativas por uma grande soma. No entanto, com os republicanos possivelmente à frente da Casa, é esperado que o pacote não seja grande, e que demore mais para ser aprovado. Setor que aguarda com enorme expectativa auxílios, as aéreas tiveram baixas. American Airlines (-2,10%) e a fabricante Boeing (-1,37%) estiveram entre as empresas com quedas.

Matheus Andrade
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário