Bolsas de NY fecham em baixa com incertezas após Trump testar positivo para covid

De Redação Estadão | 2 de outubro de 2020 | 17:54

As bolsas de Nova York fecharam em baixa em um dia de cautela nos mercados e aversão a riscos, grande parte por conta do anúncio do presidente americano, Donald Trump, de que contraiu covid-19. Há ainda os desdobramentos do impasse no Congresso dos Estados Unidos sobre um novo pacote de estímulos. Com sinais positivos para receber apoios, o setor aéreo teve ganhos. Por outro lado, energia, com queda no petróleo, e tecnologia tiveram perdas relevantes. O saldo geral na semana foi de altas.

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,48%, a 27.682,68 pontos, com avanço de 2,00% na semana. O S&P 500 caiu 0,96%, a 3.298,46 pontos, nível 1,51% superior ao de sexta-feira passada. O Nasdaq caiu 2,22%, a 11.075,02 pontos, com alta de 1,48% na semana.

Logo que foi anunciada a infecção de Trump, os índices futuro caíram. Em relatório a clientes, o Rabobank afirmou, pouco após a notícia, que as ações cairiam, e que “a aversão a riscos” estava no cenário. Na abertura das bolsas, houve a confirmação da tendência, com a postura sendo reforçada pela divulgação do payroll de setembro nos EUA mais fraco que o esperado.

O impasse entre governo e Congresso dos Estados Unidos em relação a uma nova rodada de estímulos fiscais também prejudicou os negócios. Em carta a congressistas democratas, a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, ressaltou que ainda há “divergências significativas” nas negociações.

As ações de companhias aéreas tiveram estímulo com Pelosi afirmando que irá aprovar um socorro às empresas do setor caso não seja possível um pacote fiscal mais abrangente. As aéreas também receberam atenção de Steve Mnuchin, secretário do Tesouro, a despeito do impasse no Congresso. As ações da American Airlines subiram 3,34%, acompanhadas por United Continental (+2,36%).

Com o petróleo caindo mais de 3% em Londres e Nova York, as empresas do setor tiveram queda nas ações, e a ExxonMobil fechou em baixa de 0,45%. A LPL Markets registra que o setor de energia é a duas semanas seguidas o com pior performance.

As empresas de tecnologia tiveram perdas generalizadas, e levaram o Nasdaq a ter a maior queda entre os principais índices. O Facebook teve queda de 2,51%, seguida por Amazon (-2,99), Apple (-3,23), Netflix (-4,63), Microsoft (-2,95), Alphabet (-2,17%).

Matheus Andrade
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário