Bolsonaro se defende de críticas sobre suposto relaxamento no combate à corrupção

De Redação Estadão | 2 de agosto de 2020 | 12:45

O presidente Jair Bolsonaro recorreu à sua conta no Facebook na manhã deste domingo, 2, para defender seu governo de críticas que recebeu durante a semana por, supostamente, ter relaxado no combate à corrupção. “O maior programa de combate à corrupção foi executado por mim ao não lotear cargos estratégicos, como, por exemplo, as presidências das estatais”, escreveu o presidente.

As críticas a uma virtual leniência do governo federal com corrupção ganharam força na esteira da ofensiva do procurador geral da República, Augusto Aras, contra a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. As declarações de Aras lançaram dúvidas sobre o destino da operação que desmontou um esquema bilionário de corrupção e que já repatriou cerca de R$ 4 bilhões que estavam no exterior.

A luta contra a corrupção, segundo disse esta semana o Senador Major Olímpio (PSL-SP), foi uma das principais promessas de campanha que levaram o Capitão da Reserva do Exército ao Palácio do Planalto. Segundo o senador, o presidente não está cumprindo esta promessa, pelo qual ele atribuiu nota 5 ao governo Bolsonaro.

Bolsonaro, pelo texto que postou no Facebook, não quer ver colada à sua imagem a pecha de presidente tolerante com a corrupção. “A Polícia Federal goza de total liberdade em sua missão. Nunca interferi, e nem poderia, em absolutamente nada”, escreveu o presidente em uma clara resposta ao ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, que no bojo das repercussões sobre as declarações de Aras, voltou a bater na tecla de que Bolsonaro teria tentado interferir na Polícia Federal.

“No corrente ano a PF contará com mais 600 profissionais, bem como o novo ministro da Justiça anunciou concurso para mais 2 mil vagas. Com a troca do ministro da Justiça, como por um passe de mágica, várias e diversificadas operações foram executadas. A PRF Polícia Rodoviária Federal, por sua vez, quase triplicou a apreensão de drogas com o novo ministro”, escreveu Bolsonaro.

Ainda segundo o presidente, qualquer operação, de combate à corrupção ou não, deve ser conduzida nos limites da lei. “E assim tem sido feito em meu governo”.

“Quanto às operações conduzidas por outro Poder, quem responde pelas mesmas não sou eu. Com orgulho digo: estamos há 18 meses sem qualquer denúncia de corrupção. Isso tem incomodado parte da imprensa e os derrotados de 2018”, publicou Bolsonaro.

Francisco Carlos de Assis
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário