Bom humor externo por EUA E China impulsionam Ibovespa

De Redação Estadão | 4 de dezembro de 2019 | 10:55

Sinais de que Estados Unidos e China estão prestes a fechar um acordo preliminar impulsionam as bolsas internacionais e o Ibovespa. A notícia de que as duas potências estão mais próximas de chegar a um acerto sobre o volume de tarifas que seriam retiradas “fase 1” do acordo, apesar de tensões relacionadas a Hong Kong e Xinjiang, já reflete de forma positiva nas commodities.

Além de monitorar o efeito da alta das matérias-primas sobre as principais ações da B3, o investidor acompanha o Petrobras Day, em Nova York, e o Vale Day, em Londres.

“O exterior é que deve conduzir os negócios. Embora a produção industrial tenha crescido, ficou menor que as estimativas”, diz Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença DTVM.

Às 10h51, o Ibovespa subia 0,48%, aos 109.575,48 pontos.

Em outubro, a produção industrial subiu 0,80% em relação a setembro, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou aquém da mediana de 0,90% das estimativas a pesquisa do Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo das expectativas (0,40% a 1,40%). No confronto com outubro de 2018, houve crescimento de 1,0%, ficando também inferior à mediana de 1,3%, porém dentro das projeções (0,50% a 2,30%).

“Mesmo o PIB Produto Interno Bruto, divulgado ontem e que trouxe otimismo, indicou que o processo de retomada lenta. E a produção industrial de certa forma vai nessa direção, de um ciclo ainda frágil”, acrescenta Monteiro.

Para o Banco Safra, a produção industrial ficou abaixo da alta estimada de 1,2%. No entanto, a instituição pondera em nota que, apesar dessa diferença, os componentes do setor tiveram bons desempenhos, exibindo continuidade da recuperação da indústria de transformação.

De acordo ressalta o banco, o avanço de 0,8% observado em outubro representou a terceira alta mensal consecutiva, “com a série voltando a exibir uma trajetória mais consiste de recuperação”. Apesar de mais fraco que o esperado, o dado industrial de outubro não altera a projeção para o PIB do quarto trimestre do Safra, que ontem foi revisada para 0,7% na comparação com o terceiro trimestre.

Maria Regina Silva
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.