Brasil supera França em infectados e passa a ser 6º país em contaminações

De Redação Estadão | 13 de maio de 2020 | 15:00

O Brasil superou a França em número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e agora é o sexto país mais afetado pela covid-19 no mundo, segundo compilação de dados feita pela Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos. Às 14h desta quarta-feira, 13, o Brasil aparecia com 180.049 infecções e a França com 178.349. Os dados considerados pela Johns Hopkins vêm de fontes variadas, como secretarias regionais de Saúde, e são atualizados múltiplas vezes ao dia, diferente da estratégia de divulgação adotada pela maioria dos países, que lançam uma atualização diária.

Ontem, 12, o Brasil já havia superado a Alemanha no total de infectados e havia se tornado o sétimo país com mais casos confirmados de covid-19. Agora, estão à frente do País, segundo a universidade americana, Itália (222.104 contaminados), Espanha (228.030 contaminados), Reino Unido (230.984 contaminados), Rússia (242.271 contaminados) e Estados Unidos (1.375.949 contaminados). Globalmente, os casos de covid-19 identificados são 4.308.055. Também ontem, a América passou a Europa e agora é o continente com mais casos de contaminações pelo coronavírus, na contagem da Johns Hopkins e também da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No entanto, o Brasil se diferencia dos países que ocupam os primeiros lugares no ranking de contaminados por um aspecto importante: a baixa quantidade de testes de covid-19 já realizados. De acordo com a plataforma independente Worldometers, o Brasil tem uma taxa de 3,4 mil testes feitos por milhão de habitantes (pmh), índice que é de 45,2 mil pmh na Itália, de 30,8 mil pmh no Reino Unido, de 40,9 mil pmg na Rússia, de 52,7 mil pmh na Espanha, de 30,3 mil pmh nos Estados Unidos, de 21,2 mil pmh na França e de 32,8 mil pmh na Alemanha, para citar os países com mais casos de covid-19 identificados até o momento.

Gregory Prudenciano
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário