Cenógrafo e figurinista, Carlos Colabone morre aos 60 anos

De Redação Estadão | 28 de maio de 2020 | 08:15

O cenógrafo e figurinista Carlos Colabone morreu na madrugada desta quarta-feira, dia 27, vítima de parada cardíaca, aos 60 anos. Nascido em Rio Claro, no interior paulista o corpo do artista seguiu para a cidade, onde foi sepultado.

Os trabalhos na capital começaram ainda nos anos 1980, quando Colabone assinou cenografias para as peças do Teatro de Arena, na direção de Fauzi Arap (1938-2013), entre elas, Risco e Paixão (1989) e A História Acabou (1991).

Em 1994, criou a cenografia de Vestido de Noiva, peça de Nelson Rodrigues, para a produção do Grupo Tapa, dirigida por Eduardo Tolentino de Araújo. O trabalho de Colabone recebeu o extinto Prêmio Molière. No ano passado, voltou aos palco atuando em Reflexo Guimarães, de Gonzaga Pedrosa. Colabone também foi jurado do Prêmio Shell de Teatro – São Paulo.

Redação
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário