China confirma que peritos da OMS vão ao país investigar origens do coronavírus

De Redação Estadão | 12 de janeiro de 2021 | 11:05

Especialistas da Organização Mundial de Saúde (OMS) visitarão a cidade de Wuhan, onde o coronavírus foi detectado pela primeira vez no final de 2019, no início de sua investigação sobre as origens da pandemia, disse a China nesta terça-feira, dia 12. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, disse que os especialistas chegarão a Wuhan na quinta-feira (14). Outros detalhes de sua programação não foram anunciados e a Comissão Nacional de Saúde do governo central não ofereceu mais informações.

A visita era esperada há meses. O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, expressou frustração na semana passada porque os arranjos estavam demorando para serem finalizados. Depois que a China anunciou a visita na segunda-feira, 11, Tedros disse que os cientistas, vindos de várias nações, se concentrarão em como o coronavírus atingiu as pessoas pela primeira vez. “Os estudos começarão em Wuhan para identificar a fonte potencial de infecção dos primeiros casos”, disse Tedros.

A China rejeitou os pedidos de uma investigação independente enquanto controla estritamente todas as pesquisas sobre as origens do coronavírus e promove teorias marginais de que o vírus pode realmente ter sido trazido de fora para a China.

Acredita-se que a cultura de sigilo chinesa atrasou os avisos sobre a pandemia, bloqueou o compartilhamento de informações com a OMS e dificultou os testes iniciais. Houve uma frustração considerável entre os funcionários da OMS por não obterem as informações de que precisavam para combater a propagação do vírus mortal. Fonte: Associated Press.

Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.