China diz que pode reagir à decisão do Canadá sobre extradição com Hong Kong

De Redação Estadão | 6 de julho de 2020 | 10:44

O ministro das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, afirmou que o Canadá terá que “lidar com todas as consequências” da decisão de suspender o acordo de extradição com Hong Kong, em reação à imposição, por Pequim, de uma lei de segurança nacional sobre o território semiautônomo.

“O lado canadense violou seriamente o direito internacional e as normas básicas que governam as relações internacionais e interferiu fortemente nos assuntos internos da China. A China condena veementemente isso e se reserva o direito de reagir ainda mais”, ameaçou, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, 6.

Lijian garantiu que as ações da comunidade internacional para pressionar os chineses não serão bem-sucedidas.

Ele exortou o Canadá a “corrigir seus erros imediatamente e parar de interferir nas questões de Hong Kong e outros temas internos da China para evitar mais danos às relações China-Canadá”.

André Marinho
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário