CNI diz esperar que acordo Mercosul-UE entre em operação no 1º semestre de 2021

De Redação Estadão | 16 de dezembro de 2020 | 15:07

O diretor de Desenvolvimento Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Carlos Abijaodi, disse ter expectativa de que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia possa entrar em operação no primeiro semestre de 2021. Ele disse que é preciso ter “força política” para isso. “Queremos aproveitar Portugal na presidência da Comissão Europeia para que possa aprovar pelo menos o acordo comercial”, afirmou.

A parte comercial do acordo, que envolve a redução de tarifas, poderia entrar em vigor se aprovado no parlamento europeu, sem necessidade de ratificação de todos os países membros do bloco.

Abijaodi disse que as dúvidas em relação à possibilidade de o acordo trazer ameaças à preservação ambiental “não têm fundamento”, já que o entendimento traz cláusulas que preveem o respeito a regras internacionais na área, como o Acordo de Paris.

O presidente da entidade, Robson Andrade, ressaltou que, do lado empresarial, há “nítida vontade” de que o acordo avance no ano que vem. “Se tivermos vacinação em massa dos países no próximo ano, isso dará ímpeto maior para avanço de acordos internacionais”, acrescentou.

Lorenna Rodrigues
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.