Com apoio de Guga, Roland Garros faz parceria com Rio Open para promover o saibro

De Redação Estadão | 8 de outubro de 2020 | 10:40

Maior torneio de tênis da América do Sul, o Rio Open lançou nesta quinta-feira uma parceria de peso com Roland Garros, que está sendo disputado em Paris. A competição brasileira e mais quatro espalhadas pelo mundo firmaram vínculo em mais uma iniciativa do Grand Slam francês para promover o saibro no circuito profissional.

Com a parceria, o torneio brasileiro, de nível ATP 500, vai poder iniciar projetos diretamente com a organização de Roland Garros, obter maior know-how sobre grandes eventos e também sobre o saibro, organizar eventos em conjunto e produzir conteúdo exclusivo sobre tênis.

“Essa é uma parceria que só vem reforçar a relevância do Rio Open no calendário mundial. Anos após anos a gente traz alguns dos melhores jogadores de saibro do mundo e que sempre acabam culminando com bons resultados em Paris. É uma honra estar ao lado de Roland Garros”, afirma Luiz Carvalho, diretor do torneio brasileiro.

Chamada de “Roland-Garros Pro Series”, a iniciativa do Grand Slam francês envolveu outros quatro torneios: o ATP 250 de Buenos Aires (Argentina), o ATP 500 de Barcelona (Espanha) e os ATPs 250 de Lyon e Estrasburgo (França). A parceria reforça a busca da Federação Francesa de Tênis (FFT) em manter a relevância do saibro no circuito mundial.

Nos últimos anos, a terra batida vem perdendo espaço tanto no masculino quanto no feminino. Atualmente, 70% dos torneios são disputados sobre quadra dura. Até mesmo o Rio Open já cogitou mudar para esta superfície quando tinha planos de transferir seus jogos do Jockey Club para o Centro Olímpico de Tênis, que conta com quadras duras. A ideia era fazer a mesma mudança de forma conjunta nos torneios realizados em Buenos Aires, Quito e São Paulo (quando o Brasil Open tinha nível ATP).

“Com a Roland-Garros Pro Series, a FFT atingiu um novo marco na promoção do tênis jogado no saibro. Com 165 clubes de tênis amador afiliados à FFT na França, agora estamos estreitando laços com o tênis profissional. Estamos cumprindo nosso papel de campeonato mundial de saibro”, explicou Bernard Giudicelli, presidente da FFT.

A entidade francesa começou a criar maiores vínculos com o Brasil em 2015, quando firmou parceria com a Confederação Brasileira de Tênis (CBT). O País passou a receber uma das etapas do Roland Garros Junior Wild Card Series, torneio juvenil masculino e feminino que dá chance a jovens brasileiros de disputar uma seletiva para a chave juvenil em Paris, antes do início do Grand Slam.

Para Giudicelli, a relação entre Brasil e Roland Garros começou com Gustavo Kuerten, que é tricampeão em Paris e hoje atua como embaixador tanto do torneio francês quanto do Rio Open. “Você é a referência destes jovens jogadores”, disse o dirigente ao brasileiro, referindo-se aos tenistas sul-americanos que vêm se destacando no campeonato. Ambos participaram da videoconferência que lançou a parceria nesta quinta.

“A quadra de saibro é sobre emoções, grandes batalhas e o poder de superar obstáculos cercados por crenças, esperanças e paixão. É por isso que adoro o jogo, especialmente em Roland Garros. É por isso que apoio a parceria entre Roland Garros e torneios de saibro ATP e WTA. Todos esses esforços são importantes para compartilhar experiências entre os grandes torneios que inspiram as pessoas em todo o mundo”, afirmou Guga.

Felipe Rosa Mendes
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário