Contra variantes da covid-19, Índia determina testes obrigatórios a viajantes

De Redação Estadão | 18 de fevereiro de 2021 | 12:30

A Índia determinou testes obrigatórios a viajantes que chegam direta ou indiretamente do Reino Unido, África do Sul e Brasil, na tentativa de conter a disseminação de mais variantes infecciosas do vírus encontradas nesses Países.

Já na União Europeia, especialistas em saúde afirmaram que todas as fazendas de visons correm o risco de se infectar com covid-19 e espalhar o vírus, e, portanto, as equipes e os animais devem ser testados regularmente. Os visons são altamente suscetíveis ao coronavírus, que se espalha rapidamente em fazendas intensivas que costumam criar milhares de animais em sistemas de gaiolas abertas (gaiolas de arame externas cobertas por um telhado). Os humanos são a fonte inicial mais provável de infecção.

China e Taiwan

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, acusou Taiwan de “realizar manipulação política e promover questões políticas”. Segundo ela, a China quer “fornecer a assistência necessária aos compatriotas taiwaneses em sua luta contra a epidemia”, sem abordar se o País desempenhou algum papel no atraso no acordo de vacinas.

O ministro da saúde de Taiwan, Chen Shih-chung, disse na quarta-feira, 17, que as negociações com a empresa alemã BioNTech para adquirir cinco milhões de vacinas desenvolvidas em conjunto com a Pfizer fracassaram em dezembro “porque alguém não quer que Taiwan seja muito feliz”. Tais comentários levantaram preocupações de que a China possa estar tentando impedir a campanha de vacinação de Taiwan.

Em um comunicado nesta quinta-feira, a BioNTech disse que as discussões para fornecer as doses a Taiwan ainda estão em andamento.”A BioNTech está empenhada em ajudar a pôr fim à pandemia para as pessoas em todo o mundo e pretendemos fornecer nossa vacina a Taiwan como parte desse compromisso global”, afirmou.

Arábia Saudita

A Arábia Saudita aprovou a vacina contra a covid-19 produzida pela AstraZeneca, afirmou a TV estatal. Segundo o vice-ministro da saúde pública Hani Jokhdar, o País tem capacidade de vacinar com 200 mil doses. “Seremos capazes de entregar 1,4 milhão de doses todas as semanas”, disse ele, de acordo com o Hindustan Times, e confirmou ter planos de lançar a vacina “neste fim de semana”.

De acordo com o jornal, Jokhdar disse que a vacinação não será obrigatória e que as pessoas podem escolher a vacina que receberão. A Arábia Saudita planeja vacinar 70% dos idosos e portadores de doenças crônicas até junho.

Alemanha

A Alemanha registrou 10.207 novos casos e 534 mortes por covid-19 na quarta-feira, 17. O número ainda reforça a tendência de baixa e o cenário positivo no País. O total de casos ativos diminuiu um pouco mais para cerca de 128 mil e permanece em seu nível mais baixo desde o final de outubro. A contagem de óbitos, no entanto, é ainda preocupante. As autoridades locais, então, preferem que o número diminua antes de determinarem relaxamento das restrições no próximo mês.

Rússia

A Rússia planeja registrar o CoviVac, sua terceira vacina contra covid-19, em 20 de fevereiro, informou a agência de notícias Interfax.

Sofia Aguiar
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.