Correção: LeBron diz que se jogasse com Jordan levaria basquete para outro nível

De Redação Estadão | 19 de maio de 2020 | 16:18

A matéria enviada anteriormente continha um erro no título. Segue a versão corrigida:

Astro dos Los Angeles Lakers, LeBron James afirmou que adoraria ter jogado ao lado de Michael Jordan. De acordo com o jogador, as suas características se encaixam com o estilo de jogo do hexacampeão da NBA pelo Chicago Bulls.

“A forma como eu jogo basquete, pensando no time primeiro, eu penso que minhas melhores características encaixariam perfeitamente com o Mike (Jordan). Mike era um matador (de bolas). Quando se trata de jogar basquete, pontuar da maneira como ele encestou as bolas. Acho que eu (o ajudaria) com a minha capacidade de passar, minha capacidade de ler o jogo e de antecipar as jogadas”, explicou o jogador, ao canal norte-americano Uninterrupted.

James comparou seu estilo de jogo com o de Scottie Pippen, parceiro de Michael Jordan na vitoriosa equipe do Chicago Bulls. De acordo com o atleta da equipe de Los Angeles, sua função, exercida em uma hipotética parceria com Jordan, seria de “point forward”, uma mescla entre ala, ala-pivô e armador.

“Eu vi as coisas que Scottie Pippen foi capaz de fazer com Mike. Só acho que teria sido um nível totalmente diferente. Pip era um dos meus jogadores favoritos, mas teria sido um nível totalmente diferente se eu fosse um point forward ao lado dele (Jordan)”, disse.

O nome de LeBron e Michael Jordan ganharam protagonismo nas últimas semanas por conta do documentário Last Dance, que mostra a trajetória da vitoriosa equipe do Chicago Bulls, liderada por Jordan, nos anos 90.

Considerado um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos, Jordan, por pouco, não chegou a jogar com LeBron, que também é tido como um dos maiores jogadores da história, na NBA. Em 2003, ano em que James, aos 18 anos, foi escolhido para jogar no Cleveland Cavaliers, Jordan se despedia, com a camisa do Washington Wizards, da liga norte-americana.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário