Criticada por condenação, volta de Robinho tem apoio de Cuca e atletas santistas

De Redação Estadão | 12 de outubro de 2020 | 10:00

Anunciado no sábado como reforço pelo Santos, Robinho deve ter seu contrato regularizado pelo clube nesta segunda-feira, mas já movimenta o clube. A contratação do atacante, criticada por causa da sua condenação por violência sexual na Itália, recebeu a aprovação do técnico Cuca e do elenco.

Em entrevista coletiva após o triunfo por 2 a 1 sobre o Grêmio, domingo, na Vila Belmiro, o técnico Cuca avaliou que o time ficará ainda mais forte pela presença do atacante no elenco. Mas admitiu que ainda não conseguiu planejar como pretende utilizar o veterano de 36 anos. E deixou claro esperar que ele seja um líder da equipe.

“Recebi (a notícia a volta de Robinho) ontem a tarde. Estava na Vila, recebi a notícia. Seja bem-vindo. Espero que nos ajude muito, dentro e fora de campo. Pessoa de caráter maravilhoso. Sem dúvida alguma vai nos ajudar. Ainda não pensei em como utilizar. Ele tem que ter condições de jogo primeiro. Depois a gente vê o que é melhor”, afirmou o técnico.

Cuca não foi o único do elenco santista a se manifestar favoravelmente a Robinho. Autor dos dois gols do Santos na partida, Marinho comemorou dando “pedaladas”, em uma referência ao lance que o agora companheiro eternizou na história do clube, na conquista do título do Campeonato Brasileiro de 2002. E foi acompanhado no gesto por outros jogadores.

O próprio Santos fez questão de exibir jogadores aprovando a chegada de Robinho, incluindo o uruguaio Carlos Sánchez, que “liberou” a camisa 7 para o atacante. “Falar dele e não lembrar do título do Brasileiro de 2002, por tudo o que representou, é impossível. Foi uma conquista histórica”, afirmou o goleiro João Paulo. “Como santista, ver aquele menino fazendo o que fez numa final e depois conquistando um título foi único”, acrescentou o volante Diego Pituca.

O anúncio da contratação de Robinho, porém, provocou protestos imediatos nas redes sociais, com a lembrança de que em 2017 ele foi condenado a nove anos de prisão por violência sexual na Itália – naquele momento, defendia o Atlético-MG. De acordo com a sentença, o crime ocorreu em 22 de janeiro de 2013, envolveu outros cinco homens, com a vítima sendo de origem albanesa.

Para iniciar a sua quarta passagem pelo Santos, Robinho assinou um acordo válido por apenas cinco meses. Nesse período, ele receberá salários de R$ 1.500, que serão acrescidos de bônus de acordo com o número de jogos disputados. O clube corre contra o tempo para registrar o atacante, o que deve ocorrer nesta segunda-feira, pois deve voltar a ser proibido pela Fifa de realizar contratações por dívidas com clubes estrangeiros.

Formado nas divisões de base do Santos, Robinho vai, agora, iniciar a sua quarta passagem pelo clube. Ele foi campeão brasileiro em 2002 e 2004, deixando o clube em 2005. Fez um primeiro retorno em 2010, tendo sido campeão da Copa do Brasil e paulista. Já em 2015, também faturou o Estadual. E soma 111 gols marcados em 253 jogos.

Leandro Silveira
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário