Cruzeiro em quarentena no Japão tem 44 novos casos de coronavírus

De Ricardo Alcantara | 13 de fevereiro de 2020 | 13:58
(Foto: © KIM KYUNG-HOON/Via Agência Brasil)
(Foto: © KIM KYUNG-HOON/Via Agência Brasil)

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão afirmou que outros 44 casos de infecção pelo coronavírus foram confirmados a bordo do navio de cruzeiro Diamond Princess.

Inclui-se um tripulante. Vinte nove infectados são japoneses.

O aumento no total de passageiros e tripulantes infectados pelo vírus chega a 218.

Atualmente, a embarcação encontra-se sob quarentena, atracada no porto de Yokohama, nas proximidades de Tóquio.

Idosos

O governo do Japão decidiu permitir que algumas pessoas a bordo do cruzeiro Diamond Princess, afetado pelo surto de coronavírus, desembarquem na sexta-feira (14). Entre essas pessoas estão idosos que possuem problemas crônicos de saúde.

Cerca de 3.500 pessoas  estão confinadas na embarcação. O Ministério da Saúde tem pedido que passageiros permaneçam em suas cabines até a próxima quarta-feira (19), período que marca o fim de uma quarentena de duas semanas imposta após a confirmação do primeiro caso.

Como há preocupação de que a saúde de alguns passageiros esteja se deteriorando, o ministério decidiu na quinta-feira (13) permitir que o desembarque de alguns deles.

Funcionários da pasta informam que pessoas de 80 anos ou mais com problemas crônicos de saúde, e aquelas em cabines sem janelas, terão prioridade.

As autoridades dizem que aqueles que preencherem os requisitos e que desejarem desembarcar, terão permissão para fazê-lo amanhã, caso testem negativo para o vírus. Após deixar o navio, eles serão transferidos para instalações designadas pelo governo.

Primeira morte no país é confirmada

Governo japonês confirmou a primeira morte no país por Covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus. Nesta quinta-feira (13), ministro da Saúde do Japão, Katsunobu Kato, disse em entrevista coletiva que a paciente era uma mulher de cerca de 80 anos, moradora da região metropolitana de Tóquio.

A capital japonesa será a sede das Olimpíadas de 2020, que começam em 24 de julho. Na semana passada, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, garantiu ao Parlamento que não haverá alterações no calendário das competições por conta da epidemia de coronavírus.

O Ministério da Saúde do Japão disse ainda que “ainda não está clara” a relação da morte da idosa com o coronavírus, mas informou que o teste para identificar a infecção deu positivo para Covid-19. A pasta disse ainda que não dará mais detalhes sobre a paciente.

Esta foi a segunda morte por complicações respiratória provocadas pelo novo coronavírus fora da China, a primeira aconteceu na semana passada nas Filipinas.

Colaboração Agência Brasil

Deixe um comentário