'Decisões do presidente na área de saúde não alcançarão Goiás', diz Caiado

De Redação Estadão | 25 de março de 2020 | 12:30

Em resposta ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirmou nesta quarta-feira (25) que as decisões federais na área de saúde não alcançarão o Estado de Goiás. Nesta manhã, Bolsonaro voltou a criticar a recomendação de governantes pelo confinamento total das pessoas e defendeu que apenas pessoas no grupo de risco do novo coronavírus fiquem em casa.

“Quero deixar claro com muita tranquilidade, mas com autoridade de governador e o juramento de médico, que as decisões do presidente da República na área de saúde em relação ao coronavírus não alcançarão o Estado de Goiás”, afirmou em entrevista coletiva transmitida ao vivo pelas redes sociais.

Caiado informou que suas decisões para o Estado relacionadas à crise causada pela covid-19 serão pautadas em indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do corpo técnico do Ministério da Saúde. “Não posso admitir e concordar com um presidente que vem a público sem ter consideração com seus aliados, sem ter respeito”, disse.

O governador afirmou que não há dúvidas de que haverá crise econômica e que o desemprego aumentará, mas que não adianta que o presidente “lave as mãos” e responsabilize os demais governantes. Ele deixou claro que sua decisão é uma iniciativa própria. “Não existe aqui uma situação orquestrada com demais governadores”, declarou Caiado.

Emilly Behnke e Marlla Sabino
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.