Dólar abre em alta com tensões EUA-China, mas passa a cair ante real e seus pares

De Redação Estadão | 24 de julho de 2020 | 10:00

O dólar passou a cair no mercado doméstico nesta sexta-feira, acompanhando a perda de força do índice DXY do dólar e também da moeda americana frente os pares emergentes do real, como os pesos mexicano, chileno e argentino, diz Jefferson Rugik, CEO da corretora Correparti. Os investidores ajustam posições, após a valorização ontem e também na abertura hoje da moeda americana ante o real e seus pares emergentes, na esteira do aumento das tensões entre EUA e China.

Na mínimas, por volta das 9h45, o dólar à vista caiu a R$ 5,1885 (-0,49%), após subir à máxima de R$ 5,2420 (+0,54%) nos primeiros negócios. O dólar futuro para agosto cedeu até R$ 5,1895 (-0,45%), ante máxima mais cedo a R$ 5,2430 (+0,58%).

A pressão de alta nos primeiros negócios refletiu preocupações com a retomada global, após o governo chinês ordenar o fechamento do consulado dos EUA em Chengdu em 72 horas, em retaliação à decisão de Washington de fechar o consulado chinês em Houston (Texas).

Além disso, o presidente dos EUA, Donald Trump, minimizou ontem a importância do pacto comercial selado entre os dois países no dia 15 de janeiro deste ano e voltou a responsabilizar a China pela pandemia de coronavírus.

Silvana Rocha
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário