Dólar sobe com covid-19 pesando no mundo e no Brasil e risco fiscal interno

De Redação Estadão | 22 de janeiro de 2021 | 09:42

O dólar abriu em alta nesta sexta-feira, 22, e ampliou o ajuste até a casa dos R$ 5,52 mais cedo, com investidores de olho na aversão ao risco no mundo por causa da covid-19 e seus impactos na atividade econômica, o que também afeta gravemente o Brasil.

Aqui, o Estado de São Paulo deve anunciar hoje novas restrições, retomando a fase vermelha da doença, que deve afetar principalmente o setor de serviços e o comércio, mas pesam também os problemas em torno da vacinação no País – pouca oferta, falta de insumos para produção e perspectiva de que possa demorar pelo menos um ano para atender à necessidade de forma adequada -, e o temor de piora do risco fiscal do governo, pela possibilidade de o Congresso vir a aprovar um novo auxílio emergencial.

No exterior, commodities e bolsas caem, enquanto o dólar sobe ante divisas principais e emergentes e ligadas a matérias-primas. Às 9h26 desta sexta-feira, o dólar à vista subia 0,90%, a R$ 5,4122, após máxima a R$ 5,4207. O dólar futuro para fevereiro ganhava 1,5%, a R$ 5,4130.

Silvana Rocha
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.