Dominante, Nadal atropela Djokovic e conquista 13º título em Roland Garros

De Redação Estadão | 11 de outubro de 2020 | 14:19

Em Roland Garros quem manda é Rafael Nadal. O espanhol ampliou sua soberania em Paris ao atropelar Novak Djokovic na final deste domingo por 3 sets a 0, com parciais de 6/0, 6/2 e 7/5, em 2h41, e conquistar o seu 13º título do Grand Slam francês.

O número 2 do mundo teve uma atuação de gala e arrasou o sérvio, líder do ranking da ATP, para faturar o 20º título de Grand Slam na carreira e igualar o recorde de Roger Federer como o maior vencedor de torneios mais importantes do circuito profissional. Nadal engatou uma série invejável de 26 triunfos em Roland Garros, e quatro troféus consecutivos.

Os números expressivos não param por aí. O triunfo deste domingo foi o de número 100 de Nadal atuando em Roland Garros. Em toda a sua história no torneio, ele foi derrotado apenas duas vezes em 16 participações. O espanhol ainda teve uma desistência em 2016, quando sofreu uma lesão no punho. O resultado também pode ser considerado uma revanche para ele diante de Djokovic, que o havia vencido no último encontro entre os dois em Paris, nas quartas de final de 2015.

A trajetória neste ano foi irretocável. O espanhol teve capacidade para se adaptar rapidamente às novas condições, como o clima mais frio em Paris – o torneio costumava ser disputado no primeiro semestre, mas foi adiado em razão da pandemia de coronavírus – e as bolas mais lentas após a mudança de fornecedor, e foi campeão sem perder um set sequer.

Em quadra, Nadal foi absolutamente dominante, especialmente no primeiro set, em que teve um início arrasador e foi praticamente perfeito, sem dar brechas a Djokovic. Atordoado com o domínio do adversário, o sérvio teve seu serviço quebrado três vezes. Ele chegou a ter três break points, mas não aproveitou nenhum deles e o espanhol venceu a primeira parcial por 6/0, o que foi uma surpresa, dado o equilíbrio entre os dois em confrontos recentes.

Na segunda parcial, o panorama seguiu de maneira semelhante, de modo que Nadal continuou com seu backhand potente e certeiro e Djokovic permaneceu com dificuldade para encaixar o seu jogo. O número 1 do mundo, desta vez, venceu dois games, mas chegou a cometer mais erros, não teve nenhuma oportunidade de quebra e viu o espanhol triunfar por 6/2.

O terceiro set foi o mais equilibrado, com o ressurgimento de Djokovic no jogo. Depois de sofrer uma quebra, o sérvio reagiu, conseguiu um break point, empatou em 3/3 e animou o pequeno público em Paris. No entanto, não manteve o ritmo, voltou a cometer erros decisivos, como uma dupla falta que o fez ter seu saque quebrado novamente e viu Nadal vencer a parcial por 7/5 para sagrar-se campeão em Roland Garros mais uma vez.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário