'Doutor Estranho', com Benedict Cumberbatch, é atração da Tela Quente

De Redação Estadão | 30 de março de 2020 | 15:24

Em maio, daqui a pouco mais de um mês, Benedict Cumberbatch deveria estar iniciando a rodagem de Doctor Strsange in the Multiverse of Madness. O longa, inicialmente previsto para ser dirigido por Scott Derrickson, sofreu uma mudança de rumo e ele foi afastado por ‘divergências criativas’. Não foi a única defecção em relação ao original – Rachel McAdams também caiu fora, mas agora está tudo embaralhado.

Em tempos de covid 19, e confinamento social, a produção deve atrasar. O lançamento, previsto para o ano que vem, com toda certeza terá de ser remanejado. A solução é continuar divertindo-se com o 1. Doutor Estranho é a atração desta segunda, 30, na Tela Quente, da Globo, às 23h16. Cumbertbatches, que é como se chamam as tietes do astro – cumberbitches é a versão pejorativa -, atenção.

Cumberbatch deu a voz e emprestou o próprio corpo à captação dos movimentos de Smaug, o dragão de O Hobbit. Interpretou gays, personagens especiais e ganhou o Olivier, o Oscar do teatro inglês, fazendo Frankenstein. Qualquer produtor pensaria duas vezes antes de colocá-lo na pele de um super-herói, mas pensando bem foi esse currículo que o tornou perfeito para interpretar o Doutor Estranho. O personagem foi criado pela dupla Stan Lee/Steve Ditko e apareceu pela primeira vez nas Strange Tales (# 110), em julho de 1963.

Quem conhece a Marvel Comics avalia que a ideia era trazer por meio dele, um tipo de personagem diferente e um tanto de misticismo para os comics. A ideia de um filme vinha sendo gestada desde os anos 1980, mas só em 2013 o presidente da Marvel, Kevin Feige, confirmou o projeto (e chegou a dizer que o personagem representava uma bem-vinda rachadura sobrenatural no Universo Marvel). No ano seguinte, Scott Derrickson foi contratado para dirigir e escrever o roteiro com Jon Spaihts. Só para constar, Derrickson foi o diretor de O Exorcismo de Emily Rose, de 2005, um melhores filmes do gênero.

Na trama de Doutor Estranho, um médico arrogante sofre um acidente e perde a habilidade com as mãos. Submete-se a diversos tratamentos, sem êxito, até encontrar a misteriosa Anciã, que abre para ele o plano astral e outras dimensões cósmicas, transformando-o no Mago Supremo, uma espécie de guardião do universo. Para completar sua formação, e salvar a Terra, Estranho participa de aventuras em Nova York, Londres e Hong-Kong.

A colega cirurgiã Christine o impulsiona em todas essas etapas. Importantes são também Mordo, um ex-aluno da Anciã, que não é completamente mau, e o vilão Kaecilius, que busca a vida eterna. Tilda Swinton, atriz cultuada, faz a Anciã. Rachel McAdams, Chiwetel Ejiofor e Mads Mikkelsen completam o elenco principal. Chris Hemsworth aparece como Thor (claro) e Stan Lee faz uma ponta (lendo As Portas da Percepção, de Aldous Huxley) no ônibus.

O filme foi um sucesso planetário – US$ 677 milhões – e faturou prêmios para efeitos e figurinos. Ou seja, enche os olhos.

Luiz Carlos Merten
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário