Eleito no Rio, Paes diz que primeira preocupação será a pandemia

De Redação Estadão | 29 de novembro de 2020 | 20:23

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), comemorou a vitória sobre o adversário Marcelo Crivella (Republicanos), que tentava a reeleição, dizendo que “o Rio está livre do pior prefeito de sua história”.

Acompanhado pelo presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM), Paes concedeu entrevista coletiva na noite deste domingo (29), em um hotel em São Conrado (zona sul), durante a qual avaliou que o resultado nacional da eleição municipal representa a volta do prestígio da classe política: “Nós passamos os últimos anos radicalizando a política brasileira e contestando aqueles que exercem a atividade política, e os resultados desse quadro de extremos, de divisão, não fez bem aos cariocas nem aos brasileiros. Essa eleição manifestou uma força muito grande daqueles que exercem a atividade política, a gestão pública”.

Paes disse que só vai anunciar nesta segunda-feira (30) as primeiras medidas de sua gestão, que começa em 1 de janeiro de 2021, mas ressaltou a preocupação com a pandemia de coronavírus. “O primeiro desafio está na saúde, na pandemia. O Rio teve quase o dobro da letalidade de São Paulo. Pretendo buscar o governo federal para que a gente tenha disponível imediatamente pelo menos 450 mil testes desses que estão no governo federal. Quero reabrir pelo menos 100 leitos do hospital de Acari (Hospital Municipal Ronaldo Gazolla), e demandar 150 ou 200 leitos da rede pública, municipal estadual ou federal, que possa atender a população”.

O prefeito eleito também disse ter convicção de que vai conseguir organizar as contas da prefeitura (“Nós mostramos isso durante a nossa gestão, principalmente nos dois últimos anos de nossa gestão, em 2015 e 2016”) e falou sobre a necessidade de unir as forças políticas: “Eu tive nesta eleição um apoio crítico, mas importante, de partidos de esquerda, como PSOL e Partido dos Trabalhadores, tive apoio de partidos mais à direita, como PSD, e nosso papel é unir a cidade”, concluiu, ressaltando que está “mais maduro, mais experiente e preparado” do que quando foi eleito para o primeiro mandato, em 2008.

Paes criticou a gestão de Crivella: “O governo reacionário que tomo conta da cidade nos últimos quatro anos foi ruim na gestão, piorou a vida das pessoas e olhou a cidade com muito preconceito”, afirmou.

O prefeito eleito do Rio aproveitou a entrevista para cumprimentar Bruno Covas (PSDB), reeleito prefeito de São Paulo: “Quero cumprimentar também o prefeito Bruno Covas, que se reelegeu. A vitória dele também significa a vitória de um quadro político que tem história, daqueles que acreditam na boa política”.

Fábio Grellet
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.