Em post, trompetista Wynton Marsalis faz homenagem a Zuza Homem de Mello

De Redação Estadão | 6 de outubro de 2020 | 10:47

O trompetista norte-americano Wynton Marsalis publicou homenagem ao jornalista e crítico musical Zuza Homem de Mello, morto no domingo passado, dia 4. O músico e diretor artístico do Lincoln Center relembrou a carreira do crítico brasileiro em uma postagem em sua rede social. “Ele foi justificadamente o mais respeitado jornalista e musicólogo brasileiro especializado em Música Brasileira e Jazz. Ele era um homem de espírito e graça incomuns, de alma e de engajamento com as possibilidades humanas através da arte da música. A curiosidade de Zuza transcendeu todas as fronteiras. Ele era a própria excelência.”

Durante a adolescência, Zuza tocou contrabaixo em clubes de música em São Paulo e em 1957 mudou-se para os Estados Unidos para estudar com o contrabaixista Ray Brown na School of Jazz de Tanglewood, escreveu o músico. “De volta ao Brasil em 1959, ingressou em uma das mais famosas redes de TV (TV Record) para trabalhar como engenheiro de som e passou a contratar artistas internacionais para os mais importantes festivais de música do Brasil.”

No post, Marsalis narra os principais trabalhos na carreira de Zuza, como o desenvolvimento de programas de rádios, e a produção de festivais de música brasileira e jazz. “Conhecê-lo era amá-lo. Ele era um entusiasmo contagiante com o fogo da consciência social. Seu trabalho foi imbuído de compreensão cultural e musical. Foi enobrecido por seu trabalho incansável de reunir diversas pessoas por meio de shows, festivais e encontros e conectar cada pessoa a um mundo maior por meio da educação.”

No ano passado, Zuza esteve em Nova York para a estreia do documentário Zuza Homem de Jazz, lembra Marsalis. “Tive a sorte de recebê-lo em uma festa com muitos de nossos grandes irmãos e irmãs. Sua presença iluminou a sala e ficamos todos muito felizes por estar com ele. No documentário, ele fala sobre a influência do Jazz na música brasileira e da música brasileira no Jazz. Ele trouxe sua alegria característica a esta experiência e nós respondemos com um respeito e euforia proporcionais.”

Marsalis compara Zuza ao crítico musical norte-americano Stanley Crouch, morto em setembro deste ano. “Não dê ouvidos aos relatos das pessoas sobre ele – se você quiser conhecê-lo, leia-o.”

Redação
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário