EUA: Kamala fala com negro baleado em Wisconsin

De Redação Estadão | 8 de setembro de 2020 | 07:42

A candidata democrata à vice-presidência, Kamala Harris, conheceu nesta segunda-feira (7) a família de Jacob Blake, negro baleado por policiais brancos no Estado de Wisconsin no mês passado. O Estado também teve a visita de Mike Pence, vice que tenta a reeleição na chapa de Donald Trump, que ontem liderou os ataques aos democratas.

Nesta segunda-feira foi comemorado o Dia do Trabalho nos EUA, data que marca o início da campanha de outono, que antecede a reta final da corrida à Casa Branca.

Kamala reuniu-se com o pai de Jacob Blake, duas irmãs e advogados de sua equipe jurídica no aeroporto de Milwaukee. Jacob Blake, a mãe e o advogado dele, Ben Crump, se juntaram ao encontro pelo telefone.

Segundo os advogados de Blake, Kamala disse a ele que “estava orgulhosa” pela forma como ele, mesmo com muita dor, se recuperava dos ferimentos – Blake está paralisado da cintura para baixo. A candidata democrata falou individualmente com cada membro da família e discutiu a agenda de reformas na polícia traçada por Joe Biden.

Esse foi o primeiro evento presencial de Kamala desde que ela foi anunciada como vice na chapa de Biden. O candidato democrata já havia se encontrado com a família de Blake na semana passada, em Milwaukee, antes de visitar Kenosha, a cidade onde um policial branco atirou no homem negro.

O vice-presidente, Mike Pence, também foi para Wisconsin, onde visitou uma instalação de energia em La Crosse antes de fazer um discurso em que falou sobre geração de empregos, economia e os protestos que tomam conta de Kenosha após a ação que terminou com Blake ferido com sete tiros pelas costas.

“Teremos lei e ordem em todas as cidades deste país para cada americano, de cada raça e credo”, disse o vice, que engrossou o discurso que tem sido repetido por Trump.

Ainda nesta segunda-feira, em uma entrevista coletiva da Casa Branca, Trump atacou Biden dizendo que ele seria incapaz de lidar com o novo coronavírus e reavivar a economia. Ele prometeu “lealdade eterna ao trabalhador americano”.

Segundo Trump, a chapa Biden e Kamala “destruiria o país e destruiria a economia”. O presidente lembrou da criação de mais de 10 milhões de empregos desde maio – ele não disse que o número é por volta da metade dos empregos perdidos em todo o país desde o começo da pandemia.

Já Biden se reuniu com sindicalistas no Estado da Pensilvânia. Em Lancaster, se encontrou com apoiadores e criticou Trump por ele “se recusar a lidar com os problemas que afetam as pessoas comuns”. Fonte: Associated Press.

EUA
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário