EUA registram 54 mil casos em 24h; Itália confinará migrantes em navio

De Redação Estadão | 28 de julho de 2020 | 17:25

Os Estados Unidos notificaram, de ontem para hoje, 54.448 casos de covid-19 e 1.126 mortes, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês). O número de contaminações é o menor desde 7 de julho, quando o país registrou 50.304 infecções.

De acordo com o CDC, os Estados Unidos já registraram 4.280.135 milhões de contaminações por covid-19 e 147.672 mil mortes desde o começo da pandemia.

No Estado de Nova York, o governador Andrew Cuomo anunciou a exigência de 14 dias de quarentena para viajantes de Porto Rico, Washington, D.C. e outros 34 Estados. Foram adicionados recentemente a essa lista Illinois, Kentucky e Minnesota.

Na Flórida, o Departamento de Saúde notificou 186 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, novo recorde de mortes diárias registradas. O Estado já registrou 441.977 casos do novo coronavírus e 6.117 óbitos.

Na Itália, o governo vai enviar, ainda hoje, tropas à região da Sicília para evitar que imigrantes deixem centros de detenção, onde passam por quarentena contra a covid-19. As informações são da Dow Jones Newswires.

O governo italiano pretende também confinar os migrantes que chegarem ao país em um navio, na costa sul da Sicília, por duas semanas, antes de transferi-los para os centros de detenção em terra. O plano é evitar novas ondas de contágio no país.

Desde o começo da pandemia, a Itália registrou o total de 246.286 contaminações e 35.112 mortes por covid-19.

Globalmente

Dados coletados pela Universidade Johns Hopkins mostram que, em todo o mundo, os casos de covid-19 ultrapassaram a marca de 16,5 milhões. Já as mortes são mais de 655 mil.

Ainda de acordo com a Johns Hopkins, países que registram maior número de infecções por covid-19 em números absolutos, após os EUA, são o Brasil (2.442.375), Índia (1.480.073), Rússia (822.060) e África do Sul (452.529).

Matheus de Souza
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário