Facebook nega ataque hacker e aponta falha técnica

De Redação Estadão | 28 de agosto de 2020 | 15:43

Após a falha que inseriu imagens pornográficas em links de notícias e posts patrocinados, o Facebook deu mais detalhes sobre o problema que afetou não apenas a rede social mas também o Instagram. Segundo a rede social, não houve ataque hacker ou violação de sua infraestrutrua por terceiros, e sim uma falha técnica na tecnologia que permite o carregamento rápido de imagens.

“Para ajudar na experiência das pessoas e para que as imagens carreguem mais rápido em nossas plataformas, o Facebook usa uma infraestrutura de vários servidores ao redor do mundo que armazenam imagens – chamadas de imagem de cache”, explicou a empresa em nota nesta sexta, 28.

“Cada imagem em cache possui um identificador exclusivo que a vincula à imagem original fora das plataformas do Facebook. Na quarta-feira à noite, implantamos uma alteração de código que fez com que os sistemas configurassem incorretamente o link de várias imagens para um único identificador de imagem em cache”, completou. A empresa não deu explicação para a alteração no código.

A atribuição do cache para a imagem pornográfica teria sido totalmente aleatória – os links poderiam ter sido atribuídos ao identificador de uma imagem de um gatinho, por exemplo. O Estadão apurou que, para um grupo menor de usuários, outras imagens de memes foram vinculadas aos links – no Brasil, porém, os usuários foram expostos à imagem pornográfica.

Segundo a empresa, a imagem foi removida na noite de quinta, 27 – a reportagem apurou que ainda há um pequeno grupo que pode se deparar com a imagem. Seriam pessoas que já teriam visualizado a imagem durante a ocorrência do problema, e isso teria ficado armazenado no cache dos dispositivos. De forma geral, porém, os usuários pararam de reportar o problema desde a noite de quinta.

Bruno Romani
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário