Festa para Hilda Hilst: Mia Couto e Zeca Baleiro falam sobre a escritora

De Redação Estadão | 19 de novembro de 2020 | 14:37

Seria um ano de festa para Hilda Hilst (1930-2004). Para celebrar os 90 anos da autora de A Obscena Senhora D., o Instituto Hilda Hilst tinha programado uma vasta programação para 2020, com muita aglomeração. No dia 21 de abril, por exemplo, data do aniversário da escritora, haveria uma grande festa no jardim de sua Casa do Sol para 1.500 pessoas. Visitas de alunos à casa de Hilda estavam agendadas. Haveria exposições. Como tudo em 2020, a programação foi adaptada e, entre os dias 23 e 27, um encontro online encerra o ano – e dá as boas-vindas à Flip. A Curadoria Hilst é um espaço parceiro da festa, que também será online, de 3 a 6 de dezembro.

Leitor de Hilda Hilst, o escritor moçambicano Mia Couto, que já usou muitas frases e poemas da escritora como epígrafes de livros ou capítulos, é o convidado especial e conversa com Daniel Fuentes, presidente do Instituto, sobre Hilda, pandemia e nossos medos hoje no encerramento. Será no dia 27, às 18h, pelo canal Curadoria Hilst no YouTube.

“Quando conheci a sua escrita fui tomado por um sentimento estranho. E pensei: eis alguém que escreve como se rezasse, alguém que tem uma crença total no poder divino da palavra. Alguém que, em nome dessa capacidade de redenção, decide confinar-se num lugar em que a falsa solidão sirva para apurar a verdadeira poesia”, disse Mia Couto ao Estadão.

Leitor de Mia, Daniel Fuentes comentou: “A grande literatura é cada vez mais fundamental para compreender e reelaborar nossa experiência humana. Mia Couto é, assim como Hilda, um dos mais importantes escritores deste tempo. Fabula nossas ancestralidades, nosso estado atemporal, mítico, realizando também essa busca essencial pelo humano”.

Mia Couto

Mia Couto encerra. Zeca Baleiro abre. Na segunda, 23, às 20h30, também ao vivo pelo YouTube, Olga Bilenky recebe o músico e compositor Zeca Baleiro. Na pauta, a poesia de Hilda Hilst, a paixão do músico por sua obra e os bastidores do CD Ode Descontínua e Remota Para Flauta e Oboé, em que musicou 10 de seus poemas.

Os encontros extrapolam o tema da literatura. Na terça, 24, também às 20h30 (os debates, exceto o de Mia Couto, são sempre neste horário), Cláudia Costin, cofundadora do Todos Pela Educação e ex-ministra, fala sobre a importância das artes e da cultura no currículo e ambiente escolar.

Na quarta, 25, três conselheiros do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas de São Paulo conversam com Daniel Fuentes e Renato Musa sobre o mundo do livro em 2020 e perspectivas para o futuro. São eles: Bernardo Gurbanov, presidente da Associação Nacional de Livrarias; Sophia Castellano, participante de coletivos realizadores de festas literárias em São Paulo e Haroldo Ceravolo, fundador da Alameda Casa Editorial.

Carmen Silva, liderança social do Movimento Sem-Teto do Centro (MSTC), participa de um bate-papo com o jornalista André Arruda sobre as interfaces entre movimentos sociais e a produção cultural independente, na quinta, 26.

Para participar, basta se inscrever no Canal Curadoria Hilst no YouTube.

Maria Fernanda Rodrigues
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário