Gigantes como Google e XP dão a funcionários direito de escolha sobre home office

De Redação Estadão | 25 de julho de 2020 | 12:40

Empresas como as gigantes Google e Twitter e a brasileira XP Inc. deram aos funcionários o poder de decidir se voltam ao trabalho presencial ou não. No caso do Twitter, por exemplo, os colaboradores poderão ficar permanentemente em trabalho remoto, caso queiram.

A plataforma de gestão Omie realizou uma pesquisa com seus cerca de 300 funcionários para entender se eles estavam preparados para voltar. O resultado mostrou que a maioria prefere um modelo híbrido, que mescle o trabalho presencial com o home office. Por enquanto, a empresa, que está com os escritórios vazios desde março, tem o home office previsto, pelo menos, até setembro.

O resultado também acompanha outros números do mercado. Uma pesquisa da GPTW no Linkedin perguntou a 1.550 pessoas, caso elas pudessem escolher, como prefeririam trabalhar no pós-pandemia. Entre os respondentes, 64% gostariam do modelo híbrido após a pandemia. Apenas 4% gostariam de trabalhar só na empresa.

No caso da SiMCo, grupo que presta serviços de saúde com cerca de 400 funcionários, a solução foi deixar os colaboradores que queiram voltar ao trabalho presencial retomarem as atividades.

“Em um primeiro momento, o administrativo estava 100% em home office, mas, com a flexibilização maior em Fortaleza, ouvimos as áreas e demos opção para os funcionários que por algum motivo não estavam bem com o home office. A orientação é a de usar o critério de só voltar se o fato de estar no escritório mudar a capacidade da área de entrega e a eficiência”, explica a diretora de gente, gestão e performance da empresa Daniela Amendola. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Marina Dayrell
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário