Halep e Pliskova vencem e fazem final em Roma; argentino pega Djokovic na decisão

De Redação Estadão | 20 de setembro de 2020 | 18:05

As duas maiores favoritas ao título chegaram à final do Torneio de Roma. Neste domingo, a romena Simona Halep, atual número 2 do mundo, e a checa Karolina Pliskova, quarta colocada do ranking da WTA, venceram seus jogos pelas semifinais e lutarão nesta segunda-feira pela taça da competição que é disputada em quadras de saibro na capital da Itália e só perde em premiação para os quatro Grand Slams do circuito profissional.

Pela terceira vez em sua carreira, Halep avança à final em Roma. Derrotada em 2017 e em 2018, a romena de 28 anos segue em busca do título inédito no Foro Itálico. Neste domingo, venceu um duelo de ex-líderes do ranking da WTA contra a espanhola Garbiñe Muguruza, atual 17.ª colocada, por 2 sets a 1 – com parciais de 6/3, 4/6 e 6/4, em 2 horas e 17 minutos.

“Mentalmente estou um pouco melhor que nos últimos anos, mas será um jogo duro. Mas agora estou mais madura. Então espero estar melhor amanhã (segunda-feira) e vencer”, disse Halep em sua entrevista coletiva, que ainda brincou com o fato de ter perdido duas finais para a ucraniana Elina Svitolina em Roma. “Graças a Deus eu não vou jogar com a Svitolina porque já perdi duas vezes para ela aqui. Quero muito ganhar este título, mas é sempre difícil”, acrescentou.

Sua rival na final é justamente a atual campeã. Pliskova passou nas semifinais pela compatriota Marketa Vondrousova, 19.ª do ranking, por 2 sets a 0 – com parciais de 6/2 e 6/4, em 1 hora e 22 minutos. Vencedora de 16 torneios da WTA, a checa disputará a 29.ª final de sua carreira no circuito profissional. Este ano já foi campeã em Brisbane, na Austrália.

Mesmo que não consiga defender o título, Pliskova vai manter os 900 pontos conquistados no ano passado. Isso porque a WTA modificou o cálculo do ranking e irá considerar os 16 melhores resultados em 22 meses, entre março de 2019 e dezembro de 2020. Como esse período compreende duas edições do torneio, apenas a melhor campanha é levada em consideração.

Por sua vez, Halep tem boas chances de reduzir a diferença para a atual número 1 do mundo, a australiana Ashleigh Barty. No ano passado, a romena perdeu ainda na segunda rodada em Roma e agora já garantiu 585 pontos e pode fazer 900 se for campeã. Vale destacar que Barty é a atual campeã de Roland Garros e não vai disputar o Grand Slam francês, que começará no próximo domingo. Ainda assim, a australiana mantém seus 2 mil pontos obtidos na última temporada.

MASCULINO – Um dia depois de eliminar o espanhol Rafael Nadal nas quartas de final, o argentino Diego Schwartzman conseguiu outro grande resultado no Masters 1000 de Roma. O tenista sul-americano venceu uma batalha de 3 horas e 15 minutos contra o canadense Denis Shapovalov por 2 sets a 1 – com parciais de 6/4, 5/7 e 7/6 (7/4) – para chegar à final da competição.

Aos 28 anos, Schwartzman chega pela primeira vez a uma final de Masters 1000. No ano passado, ele havia sido semifinalista em Roma. Atual número 15 do mundo, tem a chance de chegar ao Top 10 se for campeão.

Mas o adversário de Schwartzman na decisão é o sérvio Novak Djokovic, o número 1 do mundo, que mais cedo havia batido o norueguês Casper Ruud. O líder do ranking da ATP venceu todos os quatro duelos anteriores entre eles.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário