IIF: dívida limita espaço para impulsionar expansão de emergentes, como o Brasil

De Redação Estadão | 1 de setembro de 2020 | 10:32

A estrutura da dívida pública em países emergentes como Brasil, Argentina, México e África do Sul limita o espaço para impulsionar o crescimento nesses países após o choque da pandemia, avalia o Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês).

“O crescimento em mercados emergentes era uma preocupação nossa muito antes da covid-19 se tornar um problema global”, destaca a instituição, citando ainda problemas de produtividade no Brasil. “As coisas ficam mais complicadas em países onde o crescimento é persistentemente fraco e o espaço para amortecer o choque é limitado.”

Por outro lado, o IIF afirma que Brasil e México não sofrem de “vulnerabilidade externa clássica”.

Eduardo Gayer
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.