Indicador Antecedente sobe 1,1% em agosto, dizem FGV e Conference Board

De Redação Estadão | 14 de setembro de 2020 | 11:34

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE) subiu 1,10% em agosto na comparação com julho, para 117,8 pontos. A informação foi publicada nesta segunda-feira, 14, pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e The Conference Board.

O resultado de julho situa o IACE 2,2 pontos abaixo do nível observado em fevereiro de 2020, último mês pouco afetado pela pandemia de coronavírus.

Quatro das oito séries que compõem o índice contribuíram para a melhora do indicador, com destaque para o Índice de Expectativas da Indústria.

Na outra ponta, o Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições correntes, ficou estável em 101,4 pontos.

“Não só a desaceleração do IACE, mas também a estabilidade do ICCE em agosto mostram que o ritmo dessa recuperação ainda está sujeito às incertezas ligadas aos efeitos dos estímulos sobre a dinâmica do quadro fiscal, e ao controle efetivo da crise sanitária”, afirma, em nota, o pesquisador Paulo Piccheti, da FGV.

Cícero Cotrim
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário