Instituto TMO apoia Dia Mundial do Doador de Medula Óssea

De lucianpichetti | 17 de setembro de 2020 | 15:42
Foto: Divulgação Agência Brasil

Na próxima segunda-feira, 21 de setembro, é comemorado o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea, que tem como objetivo a conscientização sobre a importância deste ato que salva muitas vidas. O Instituto TMO, que a mais de três décadas apoia ações em prol do transplante de medula óssea, incentiva pessoas para que se tornem doadoras.

Para isto, é preciso ter idade entre 18 e 55 anos e se dirigir a um banco de sangue que faça cadastro no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) para coleta de uma pequena quantidade e sangue, que é analisado para que sejam identificadas as características das células.

Com estas informações, a pessoa poderá ser chamada futuramente para doar medula óssea, caso seja uma doadora compatível para um paciente que necessite de um transplante. O procedimento é indicado para doenças como leucemia, linfomas, mieloma múltiplo, aplasia de medula e imunodeficiências. Para localizar um local mais próximo para fazer cadastro de doador, basta consultar o site do Redome.

Acolhimento

Entre as muitas ações do Instituto TMO está a manutenção da Casa Malice, que há 5 anos acolhe e hospeda gratuitamente pessoas de outras cidades que vêm a Curitiba fazer tratamento e transplante de medula óssea. Entre estes está o Seije Mateus Gonçalves, do Pará, que realizou o transplante em fevereiro e atualmente está em tratamento, que dura muitos meses depois do transplante.

“Fui diagnosticado com aplasia medular em 1995; desde então começou a busca por doadores. Foram localizadas algumas possibilidades, mas havia risco. Até que em setembro do ano passado foi encontrada uma doadora compatível dos Estados Unidos e pude fazer o transplante”, relata Seije, que está hospedado há 8 meses.

Instituto TMO

Em atividade desde 1988, o Instituto TMO é uma instituição sem fins lucrativos que há 31 anos concentra seu esforço, trabalho e dedicação em prol do transplante de medula óssea, por meio de acolhimento a pessoas em tratamento, ações beneficentes, jornadas e encontros nacionais, lançamentos de campanhas solidárias, além de levantar recursos para aquisição de equipamentos médicos e de insumos que beneficiam profissionais de saúde e pacientes em tratamento de transplante de medula óssea.

De dezembro de 2016 a julho de 2020 já passaram pela Casa Malice 379 pessoas, totalizando 8.970 diárias de hospedagem.

Da redação com assessoria

Deixe um comentário