Juros operam estáveis com dólar e após taxa de desemprego dentro da expectativa

De Redação Estadão | 31 de maio de 2019 | 07:10

Após uma sequência de quedas, os juros futuros ainda resistiam a subir nesta sexta-feira, dia 31, em meio à aversão a risco no exterior. O dólar, que abriu em alta, também tinha pouco fôlego e, por volta das 9h20, rondava os ajustes em dia de disputa pela formação da Ptax de maio.

O pano de fundo interno favorável ao recuo das taxas é de economia fraca e de melhora no cenário político. Mais cedo foi revelado pelo IBGE que a taxa de desocupação no Brasil ficou em 12,5% no trimestre encerrado em abril, levemente abaixo da mediana das estimativas, de 12,6%.

Às 9h20, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 estava em 6,53%, de 6,56% no ajuste de Quinta-feira (30). O DI para janeiro de 2023 exibia 7,60%, de 7,62%, enquanto o vencimento para janeiro de 2025 estava em 8,17%, de 8,19% no ajuste anterior.