Justiça derruba decisão que impedia participação de Campello na eleição do Vasco

De Redação Estadão | 2 de outubro de 2020 | 13:11

O presidente Alexandre Campello teve êxito na Justiça para derrubar a decisão que o tornava inelegível nas próximas eleições do Vasco. Assim, ele poderá buscar o seu segundo mandato na votação agendada para 7 de novembro.

A decisão favorável a Campello foi da juíza Daniela Bandeira de Freitas, da 15ª Vara Cível da Capital do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Mas ainda cabe recurso contra o seu veredicto.

Em 18 de setembro, a Junta de Recursos do Vasco aceitou o pedido de impugnação de Campello, apresentado por Elói Ferreira de Araújo, primeiro vice-presidente do clube. Ele alegava que o atual mandatário deveria estar inelegível porque as contas da equipe foram reprovadas em 2018.

“Os documentos anexados com a petição inicial demonstram que o autor apresentou e prestou contas de sua gestão, embora tenham sido reprovadas pelo Conselho Deliberativo em 06/02/2020. Portanto, cumpriu a regra do estatuto para fins de se tornar elegível no pretenso pleito de reeleição”, afirma a juíza, defendendo não ser necessária a aprovação das contas para estar elegível, mas somente apresentá-las.

“Estes argumentos são confirmados pelos documentos nos autos que demonstram que na última reforma do estatuto houve a tentativa de se alterar a exigência de aprovação das contas como condição de elegibilidade dos candidatos nas eleições para a diretoria e presidência. Entretanto, a reforma deste dispositivo estatutário não ‘vingou’, permanecendo apenas a exigência de simples apresentação das contas”, conclui.

Com Campello livre para buscar novo mandato, o Vasco soma nove pré-candidaturas. As outras são de Leven Siano, Julio Brant, Fred Lopes, Jorge Salgado, Luis Manoel Fernandes, Nelson Medrado Dias, Augusto Ariston e Sérgio Frias.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário