Latam recebe primeira parcela de US$ 1,15 bilhão de financiamento DIP

De Redação Estadão | 8 de outubro de 2020 | 22:19

A companhia aérea Latam recebeu nesta quinta-feira, 9, a primeira parcela do financiamento DIP, previsto no processo de recuperação judicial em curso nos Estados Unidos. O valor recebido foi de US$ 1,15 bilhão, equivalente a 50% dos US$ 2,3 bilhões disponíveis. São US$ 650 milhões da Tranche A e US$ 500 milhões da Tranche C.

Também foi divulgado a forma de participação dos acionistas minoritários e demais credores na Tranche C, de até US$ 150 milhões. “Este primeiro recebimento do empréstimo DIP nos permitirá restabelecer nossa operação, acompanhando a evolução da demanda, e trabalhar com maior tranquilidade em nosso plano de reorganização”, afirma o CFO do Grupo Latam, Ramiro Alfonsín, por meio de nota.

A companhia contratou a LarrainVial para estruturar o incremento da Tranche C por meio da colocação de cotas em um fundo de investimento público em leilão, que será administrado pela Toesca. Desta forma, os acionistas cadastrados à meia-noite do dia 25 de maio deste ano e que mantiverem essa qualidade à meia-noite da véspera da abertura do livro de ofertas do leilão terão prioridade para participar à taxa de US$ 3,43 por ação.

As cotas não adquiridas poderão ser direcionados para outros acionistas cadastrados e detentores de títulos. Poderão participar também desta venda de cotas excedentes acionistas registrados em 25 de maio de 2020 que tenham interesse em contribuir com mais de US$ 3,43 por ação. Caso os juros ultrapassem US$ 150 milhões, esses investidores concorrerão de forma proporcional.

O financiamento DIP aprovado pelo Tribunal do Distrito Sul de Nova York considera atualmente duas tranches comprometidas. A Tranche A, no valor de até US$ 1,3 bilhão, liderada pela Oaktree Capital Management, que comprometeu US$ 1,125 bilhão, e na qual a Knighthead Capital participará com US$ 175 milhões. A Tranche C considera um montante de até US$ 1,15 bilhão e é composta por US$ 750 milhões comprometidos pela Qatar Airways e os grupos Cueto e Eblen, e US$ 250 milhões que a Knighthead Capital aportará, além dos US$ 150 milhões que o fundo irá comprometer sob administração da Toesca.

Renato Carvalho
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário