Luisa Stefani perde para japonesas e fica com o vice nas duplas em Abu Dabi

De Redação Estadão | 13 de janeiro de 2021 | 10:32

A brasileira Luisa Stefani ficou no quase no primeiro torneio de 2021. Nesta quarta-feira, a tenista paulista e a americana Hayley Carter ficaram com o vice no Torneio de Abu Dabi, um WTA 500 disputado nos Emirados Árabes Unidos, após serem derrotadas na final pelas japonesas Shuko Ayoama e Ena Shibahara por 2 sets a 0 – com parciais de 7/6 (7/5) e 6/4, depois de 1 horas e 38 minutos de confronto.

Apesar da derrota, Stefani pode comemorar a boa campanha desta semana. Com o vice-campeonato, ela deverá entrar para o Top 30 pela primeira vez, ganhando duas colocações e aparecendo na 30.ª no próximo ranking individual de duplas da WTA. Ela e Carter conquistaram 305 pontos e vão dividir um prêmio de mais de US$ 13 mil (mais de R$ 69 mil).

A tenista paulista deverá se tornar a primeira brasileira na história desde que o ranking feminino foi criado em 1975 – Niege Dias foi 31.ª colocada em simples em dezembro de 1988. É bom lembrar que Maria Esther Bueno foi considerada número 1 do mundo nas décadas de 1950 e 1960, mas na época não existia um ranking oficial.

Esta foi a sexta final de Stefani na carreira. Ela foi campeã nos WTAs de Taskent, no Usbequistão, em 2019, e em Lexington, nos Estados Unidos, em agosto passado, ambos com Carter. Foi vice em Seul, na Coreia do Sul, em 2019, e em Estrasburgo, na França, também com Carter, e vice em Ostrava, na República Checa, com a canadense Gabriela Dabrowski, em 2020.

“Show alcançar o Top 30 pela primeira vez. Sempre acredito que o ranking é uma consequência dos resultados e resultados vêm com o treino e trabalho duro. É mais um passo no caminho certo, mais um degrau onde quero chegar que são as Olimpíadas, então acho que o mais gratificante é ver a melhora, o trabalho dando frutos. E acreditar no jogo em si que o ranking virá como consequência. Bem legal começar o ano assim com uma final e o pé direito”, disse Stefani.

Na chave de simples, a bielo-russa Aryna Sabalenka começou a temporada de 2021 como terminou a anterior: conquistando título. Nesta quarta-feira, ela chegou à sua 15.ª vitória consecutiva, bateu a russa Veronika Kudermetova com um duplo 6/2 e levantou a sua terceira taça seguida.

Campeã em Linz (Áustria) e Ostrava, na reta final do ano passado, a tenista de 22 anos irá alcançar o seu melhor ranking com a conquista em Abu Dabi. Atual número 10 do mundo, ela deverá ganhar três colocações e vai aparecer no sétimo lugar no próximo ranking, superando em dois lugares a marca mais alta até então.

MASCULINO – A decisão do ATP 250 de Antalya, na Turquia, durou pouco nesta quarta-feira – o primeiro campeão da nova temporada foi conhecido depois de apenas sete minutos e meio. Melhor para o australiano Alex de Minaur, que contou com a desistência do casaque Alexander Bublik quando vencia o primeiro set por 2/0.

“Torci meu tornozelo ontem (terça-feira) e consegui terminar o jogo por causa da adrenalina do momento. Tive muita sorte em vencer aquele jogo. Passei depois pela fisioterapia, fiquei três horas lá e tentei estar pronto para jogar hoje. Foi duro para mim nesta terceira final de ATP que joguei e mais uma vez fui derrotado”, contou Bublik.

A desistência do casaque de 23 anos veio logo após levar a quebra no segundo game. Ele venceu dois dos 12 pontos disputados na curta partida e acabou amargando o seu terceiro vice-campeonato, se juntando aos de Chengdu (China) e Newport (Estados Unidos), ambos em 2019, ano em que De Minaur havia conquistado o último dos agora quatro títulos da carreira.

Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.