Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta, ganhando fôlego durante o pregão

De Redação Estadão | 12 de fevereiro de 2021 | 14:34

Os mercados acionários da Europa registraram ganhos nesta sexta-feira, 12, à exceção de Lisboa. O início do pregão foi negativo, após dados do Reino Unido, mas os índices ganharam fôlego, embora Frankfurt tenha terminado bem perto da estabilidade.

O índice pan-europeu Stoxx 600 terminou com alta de 0,64%, em 414,00 pontos, subindo 1,09% na semana.

O início do dia foi negativo nas bolsas europeias, após dados mistos do Reino Unido. O Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 0,6% no quarto trimestre, acima do esperado, mas em todo o ano a economia britânica sofreu queda de 9,9%. A produção industrial do Reino Unido, por sua vez, cresceu menos do que o previsto em dezembro.

Além disso, investidores continuavam a monitorar a perspectiva de um governo liderado por Mario Draghi na Itália. Ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Draghi recebeu na quinta-feira apoio do Movimento 5 Estrelas.

O Morgan Stanley comenta que o país seguirá em foco, com a expectativa de que Draghi anuncie um gabinete no fim de semana e que o Parlamento vote para confirmar o novo governo na próxima semana. Para o banco, a administração deve ser confirmada, enquanto a escolha dos ministros poderá servir como bússola de sua agenda política e do grau de participação dos partidos no governo. Para a Capital Economics, o governo se desenha com uma maioria considerável, o que deve facilitar a aprovação de reformas e medidas fiscais.

Além disso, continua a haver expectativa por mais medidas de estímulo fiscal nos EUA, negociadas no Congresso em Washington e que podem apoiar a atividade global. Os impactos da covid-19 seguem como preocupação, mas no noticiário surgiu a notícia de que a Alemanha planeja um socorro de 900 milhões de euros (US$ 1,1 bilhão) aos aeroportos do país, diante das perdas recentes.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 0,94%, em 6.589,79 pontos, na máxima do dia. Na comparação semanal, subiu 1,55%. No setor de energia, BP teve alta de 1,55%.

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 0,06%, a 14.049,89 pontos. Na semana, recuou 0,05%. Entre as ações mais negociadas, Steinhoff registrou ganho de 4,03%, mas Deutsche Lufthansa (-0,84%) e Basf (-0,37%) estiveram entre as baixas.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 subiu 0,60%, a 5.703,67 pontos, com ganho semanal de 0,78%.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, teve alta de 0,44%, a 23.410,60 pontos, fechando na máxima do dia. Na comparação semanal, subiu 1,42%, com a política no radar. Intesa Sanpaolo avançou 0,46% e Telecom Italia, 0,05%.

Em Madri, o índice IBEX-35 subiu 0,22%, a 8.055,00 pontos, também encerrando na máxima diária. Na semana, recuou 1,94%. Santander teve baixa de 0,05%, mas BBVA avançou 0,41% e Telefónica, 0,48%.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 foi na contramão da maioria e caiu 1,87%, para 4.725,83 pontos, com baixa semanal de 2,39%. Banco Comercial Português teve queda de 1,81%.

Gabriel Bueno da Costa
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.