Máscaras de papel serão distribuídas no comércio aos “esquecidinhos”

De lucianpichetti | 18 de maio de 2020 | 16:44
Foto: Divulgação

Em Curitiba é obrigatório o uso de máscaras, em qualquer ambiente, inclusive nos comércios da cidade. É o que diz um decreto, assinado pelo prefeito Rafael Greca. Mas, mesmo assim, muita gente esquece do adereço e acaba impedida de entrar nos estabelecimentos.

Para solucionar o problema, a gráfica Corgraf imprimiu máscaras de uso único, em papel cartão duplex 233gr e tinta atóxica, que serão distribuídas no comércio curitibano.

“Neste primeiro momento, queremos distribuir gratuitamente em alguns pontos da cidade, para que as pessoas que não têm acesso às máscaras naquele momento, possam entrar e circular nos estabelecimentos tranquilamente e fazer suas compras de forma segura e atendendo à legislação em vigor”, explica o diretor comercial da Corgraf, André Linares.

A ideia é que os produtos fiquem disponíveis na entrada de lojas, farmácias, mercados, entre outros estabelecimentos, e o cliente possa pegar, usar durante o período de compras e descartá-los posteriormente.

Não dá pra usar de novo

“A máscara não é reutilizável, porém, por ser 100% de papel, ela atua na contenção de gotículas que expelimos durante a fala e na respiração. Dependendo do tecido usado, a máscara de papel tem barreira superior na contenção dos transmissores da doença”, complementa Linares.

O produto passou pelas devidas adequações para atender às normas técnicas da Anvisa, sob a coordenação do professor de engenharia da PUC-PR, Dalton Kai.

Confecção

A faca foi desenvolvida pela Corgraf e as estampas das máscaras foram criadas pela frente Transmita o Bem, formada por seis agências de publicidade, design e marketing digital de Curitiba: CandyShop, FOG, Pontodesign, TIF, Santiago e By Vivas.

“Queremos estampar felicidade no rosto das pessoas, um gesto simples, para dar um pouco de esperança e passar a mensagem de que juntos, unidos, vamos conseguir superar esse momento de dificuldade que o mundo está passando”, conta o designer Joaquin Presas, diretor da Pontodesign.

Deixe um comentário