Nos 45 anos, Grupo Corpo lança ação voltada aos profissionais da saúde

De Redação Estadão | 13 de maio de 2020 | 12:28

Com mais de quatro décadas de existência, o Grupo Corpo estava pronto para festejar 2020, retomando seu repertório e preparando uma temporada comemorativa. A pandemia do novo coronavírus e o confinamento foram responsáveis por suspender parte desses planos, mesmo assim, incapaz de paralisar a companhia.

Nesta sexta-feira, dia 15, o Corpo lança uma ação voltada aos profissionais da saúde. Bailarinos da companhia vão promover aulas online de dança transmitidas gratuitamente para médicos, enfermeiros e interessados, às 18h. No sábado, 16, o plano segue, às 16h. “Chegamos em 2020 com uma série de projetos, além de uma temporada. Com a pandemia, ficamos apreensivos quanto ao futuro”, conta a diretora de programação Cláudia Ribeiro por telefone.

Sem poder dançar os 45 anos e ser aplaudido, o grupo anunciou em março a exibição de espetáculos de seu repertório, começando por Lecuona, no portal da companhia. “Foi uma forma de manter o trabalho da companhia vivo e visível no digital.” Apesar da boa audiência, não bastou, acrescenta. “Havia uma inquietação sobre como o mundo da arte poderia ajudar outros profissionais. Para não ficarmos descolados do mundo.”

Para a coreógrafa Carmem Purri, era preciso olhar ao redor. “Nesse momento, médicos e enfermeiros e toda a categoria estão enfrentando períodos de muito estresse e pressão. O objetivo das aulas é oferecer exercícios que aliviam as dores e tensões e proporcionar momentos de descontração e alegria”, conta. “O que a gente sabe fazer é dançar, levar alegria, e proporcionar um pouco de relaxamento.”

Com estrutura simples, direcionada a um público diverso, as aulas pretendem oferecer diversos benefícios. “Levando em conta a rotina extrema, vamos focar em concentração e conhecimento do corpo”, explica Carmem. “Após um aquecimento e alongamento, os movimentos vão surgindo, com passos de dança. É indicado para quem estiver cansado, para quem quiser relaxar e também se divertir.”

Considerando ser uma ideia sem tanto apelo, Cláudia afirma que se surpreendeu com o retorno. “Já temos mais de 2 mil interessados. São pessoas de todo o Brasil. Muitos nos deixaram mensagens de agradecimento pela iniciativa.”

Enquanto isso, o trabalho remoto do Corpo inclui acompanhamento do os bailarinos da equipe. “Eles precisam manter o treinamento em suas casas, mesmo que não haja previsão do retorno dos trabalhos presenciais”, ressalta Carmem.

Leandro Nunes
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe um comentário