O adeus a Bira, dono da risada mais famosa da TV

De Redação Estadão | 23 de dezembro de 2019 | 07:28

Morreu na manhã deste domingo, 22, Ubirajara Penacho dos Reis, o Bira, baixista do Sexteto de Jô Soares. O músico, de 85 anos, estava internado no Hospital Sancta Maggiore, na Mooca, zona leste de São Paulo, desde a última sexta-feira, 20, após ter sofrido um AVC.

Baiano, natural de Salvador, Ubirajara foi um dos integrantes da banda Sexteto, que acompanhou o apresentador Jô Soares em seus programas na TV Globo (Programa do Jô), e também no SBT (Jô Soares Onze e Meia). Ao todo, a parceria deles durou 25 anos.

Aberto ao público, o velório teve início às 17h e iria até as 22h, quando o corpo do baixista seguiria para o Crematório da Vila Alpina. Bira deixa mulher, quatro filhos e netos.

A gargalhada contagiante era a marca registrada do músico que, em 2000, junto com o Sexteto e também Jô Soares, lançou um disco ao vivo de jazz.

Assim que a morte foi confirmada, começaram a surgir depoimentos e homenagens ao baixista nas redes sociais. Pelo Instagram, Jô Soares declarou: “É com muito pesar que comunicamos o falecimento do músico Ubirajara (Bira). Um acontecimento extremamente triste. Vá em paz e descanse deste mundo. Estejamos em oração”.

O Esporte Clube Bahia, time do coração do músico, disse via Twitter: “Bira Bora, Bira! Jamais esqueceremos de você. O músico baiano e tricolor do famoso Sexteto de Jô Soares ganhou os céus. Descanse em paz”.

O ator e humorista Marcelo Adnet postou: “Gargalhada mais contagiante da TV. Grande Bira!”.

“Triste. Muito triste com a morte do Bira. A risada solta do programa do Jô. Um ótimo amigo de todos amava a música e o Corinthians. Ficam meus sentimentos à família. Fica em paz Bira”, afirmou o apresentador Serginho Groisman que ainda recordou o eterno bom humor do baixista.

Emocionado, o músico Nando Reis lembrou: “Nas inúmeras vezes que fiz o Programa do Jô, Bira era aquele ponto para onde meus olhos desviavam. Sua alegria contagiante era fundamental para quebrar o nervosismo que sempre toma conta de mim quando tenho que fazer TV. Sua risada inconfundível era uma marca do programa”.

O ator e humorista Lúcio Mauro Filho também se pronunciou sobre a morte de Bira: “Baiano que conquistou o Brasil com sua cara séria que durava três segundos e explodia numa gargalhada inesquecível”.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.